Ida de Lula à África durante seu julgamento – PT teme que a viagem seja confundida com fuga

A viagem do ex-presidente Lula à África durante seu julgamento pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), marcado para o dia 24 de janeiro, tem sido motivo de preocupação para os petistas.

Segundo os aliados do ex-presidente, a viagem poder ser mal interpretada pela população, que pode considerar a possibilidade do petista estar na verdade empreendendo uma fuga ao se afastar do país num momento tão decisivo sobre seu futuro e o futuro do PT. Na verdade, os próprios petistas estão inseguros em prosseguir defendendo o ex-presidente, chamando-o de corajoso, e depois ficarem numa situação delicada com uma eventual fuga.

Lula confirmou sua presença em um debate na cidade de Adis Abeba, na Etiópia, sobre ações de combate à fome, justamente após o anúncio da data do julgamento no TRF-4. O evento é uma iniciativa da FAO, uma organização presidida pelo petista José Graziano, ex-ministro de Lula.

O petista deve deixar o Brasil em meio ao julgamento que pode torná-lo inelegível e vulnerável a um pedido de prisão. O evento na África ocorrerá entre os dias 26 e 27 de janeiro. Lula terá que se ausentar do Brasil dias antes e de lá mesmo saberá o resultado do julgamento de seu recurso.

Segundo a Folha, alguns petistas têm recomendado que o ex-presidente cancele a viagem para se poupar de desgastes. Mas, segundo colaboradores, o compromisso está mantido. Aliados de Lula alertam que a insistência na viagem poderá provocar constrangimentos, como o risco de retenção de passaporte a pedido da Justiça.

Com informações da Folha