Mais uma pesquisa “Tabajara” comunista

Pesquisa de intenção de votos faltando quase um ano para a eleição é como a piada contada por um esperto que pegou dinheiro do rei prometendo fazer o burro falar após dez anos. Na cabeça do esperto, em dez anos, o burro (ou ele próprio) já terá morrido e o dinheiro do rei, já era.

Mas como pesquisa, bem feita ou não, com intenções escusas ou não, sempre mostra uma tendência, por se tratar de algo feito com mínimo de critério metodológico, apesar de ter um pouco da história do vendedor de risos do burro, tem também muito a dizer sobre o que pensa o eleitorado.

E nessa última, do Instituto Mérita em Caxias, divulgada por blogueiros palacianos, mesmo que o burro ou o vendedor estejam vivos em um ano, provavelmente muita gente deverá sorrir primeiro do que os dois.

Primeiro, não é surpresa para ninguém Flávio Dino aparecer no alto do pódio. O comunista, através de seus aliados, governando um Estado com mão de ferro e perseguindo seus adversários é o contratador da pesquisa, é o único candidato oficial a governador.

Isso sem falar do fato dele ser o único que vem fazendo campanha aberta desde o inicio de seu mandato para 2018 no Maranhão inteiro, falando de seu projeto de reeleição e aparecendo em palanques vazios ao lado de pré-candidatos aliados à Câmara, Assembléia e Senado federal. No grupo Sarney, ao contrário, a indefinição é cantada e decantada todo hora pelos próprios comunistas.

Flávio Dino deve ter muito cuidado para não se empolgar tanto com os números da Mérita, pois, a pesquisa feita por ele próprio mostra que, embora o grupo Sarney não tenha definindo um candidato, o nome da Roseana mostra-se com evidente consolidação, prova da força do Grupo Sarney que tem à disposição um nome forte, ao contrário de Flávio Dino, que vem definhando a cada pesquisa após diversos escândalos em seu governo.

Ou seja, enquanto Dino mostra que não tem mais para onde crescer, mesmo com a campanha intensa e declarada em torno de seu nome no Maranhão inteiro, Roseana aparece crescendo de forma sólida e surpreendente.

E é surpresa exatamente por ser uma possibilidade dentro de um grupo que pode ter mais de dois nomes, e, sobretudo, por ter o lastro eleitoral bem superior ao do Lobão Filho, nas eleições de 2014.

Portanto, não custa nada guardar alegria de enganar o rei agora para não chorar, de novo, depois.

Novos caminhos de Roseana

Bastaram duas semanas para que a pré-candidatura da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) ao Governo do Estado passasse a ser ponto de referência para prefeitos, ex-prefeitos e vice-prefeitos no interior maranhense.

Desde que a peemedebista anunciou o desejo de concorrer ao cargo, dezenas de gestores manifestaram interesse em tratar com ela sobre 2018.

O fluxo de liderança em busca de conversa com Roseana se dá por dois motivos. O primeiro é o desprezo do governador Flávio Dino (PCdoB) às ações municipais. O outro é a proximidade da própria Roseana com o Governo Federal, o que abre portas importantes em Brasília.

Gestores de todos os matizes partidários reclamam da incapacidade de diálogo de Flávio Dino, que não pensa duas vezes em perseguir e pressionar quem não segue sua cartilha. E é este temor que faz com que esses gestores recorram à ex-governadora ou a seus aliados mais próximos, em busca de contato ou de sinalização para as eleições.

Roseana ainda não tem previsão de quando seguirá ao interior nesta pré-campanha. Mas o movimento de prefeitos, ex-prefeitos e vice-prefeitos fazem com que, cada vez mais, o seu grupo político tenha a convicção de que é necessário um encontro ainda este ano para debater o cenário de 2018.

O Estado/Coluna Estado Maior

Governador Flávio Dino, como sempre contraditório

Governador Flavio Dino e o seu pai, Sálvio Dino.

O governador e candidato a reeleição ao governo do estado pelo PCdoB, Flávio Dino, insiste na expressão “oligarquia” quando se refere à uma provável e consistente candidatura de Roseana Sarney (PMDB). Só que o governador comunista esquece, ou finge que esquece, que o seu pai, o jornalista Sálvio Dino (a direita na foto), até pouco tempo atrás fazia parte do governo do estado como assessor da Secretaria Extraordinária de Desenvolvimento do Sul do Maranhão (SEEDESMA), tendo Roseana como chefe dele.

Soube por parte de alguns aliados do Flávio Dino, que ele continua não se relacionando muito bem com o seu pai, fato que respeito por ser uma situação estritamente familiar, agora, acolher uma postura de adversário político do próprio pai, e o pior, chamá-lo de oligárquico é uma situação de falta de respeito e uma grande maldade com uma pessoa que muito ajudou na história literária e cultural do Maranhão. Se bem que este tipo de situação é característico dos comunistas, onde esquecem até mesmo das suas próprias origens e se empenham somente nas ideologias partidárias.

Coroatá – humilhação para marcação de consulta continua na rede estadual de saúde do Maranhão

Corredores lotados para marcação de apenas uma especialização em saúde do Macrorregional de Coroatá

Referência regional em consultas e cirurgias oftalmológica de média e alta complexidade, o Hospital Macrorregional de Coroatá, amanheceu com uma enorme fila nesta segunda-feira. Era o primeiro dia de marcação de consultas para o mês de setembro. Sem querer contar com a sorte de vagas remanescentes, centenas de pacientes, muitos com dificuldade de locomoção e alguns usando muletas, enfrentaram horas de espera para conseguir um agendamento na unidade inaugurada em 2012, pela ex-governadora Roseana Sarney.

A fila começou a se formar ainda na madrugada, tanto por pessoas que desejavam marcar sua primeira consulta quanto por aquelas que já se tratam no local, mas queriam garantir atendimento ainda neste ano. Ou seja, mesmo pacientes antigos, que já poderiam ter agendado seu retorno, enfrentaram a aglomeração que seguia pelos corredores daquela casa de saúde.

A previsão inicial era marcar 100 consultas oftalmológica por mês, sendo conferida mais de 300 pessoas na fila, entre idosos e crianças já sem esperança de ter suas consultas agendadas. Antes das 7 horas, horário previsto para início das marcações, já havia tumulto. Em menos de 20 minutos, as 100 senhas reservadas se esgotaram. Esse último grupo, no entanto, terá de retornar à unidade sem data ainda prevista.

Macrorregional no dia de sua inauguração pelo ex-secretário de saúde Ricardo Murad e pela ex-governadora Roseana Sarney

Vale lembrar que o Macrorregional foi idealizado pelo ex-secretário de estado da saúde, Ricardo Murad, e que atenderia uma população de aproximadamente 70 mil pessoas, só da cidade de Coroatá. Entretanto, com a desativação de vários hospitais de 20 leitos de pequenas cidades pelo governador Flávio Dino, o Macrorregional absorveu a região de cobertura que pode chegar a mais de 200 mil pessoas, mas a estrutura física e de profissionais da saúde não acompanharam o crescimento nesses cinco anos, o que motiva a demora em atendimentos especializados como o oftalmológico e ortopédico.

Segundo informações, a direção do hospital admitiu que o Macrorregional errou e não estava preparado para a intensa procura desta segunda (31). “Há alguns meses, fizemos este mesmo modelo de marcação e não houve este tamanho de fila. Tínhamos entendido que esta seria a maneira mais correta de organizar as senhas. No entanto, acabamos nos surpreendendo com tamanha demanda. Só quero deixar bem claro para a população que este tipo de coisa não vai se repetir”, explicou uma funcionária da unidade de saúde.

Pelo visto, o governador Flávio Dino ainda não aprendeu a tratar com respeito à população que o escolheu para comandar o estado, mesmo após a “catracada” levada ontem (31) pelo prefeito da Trizidela do Vale, Fred Maia, durante um encontro de prefeitos com o Ministro da Saúde, no auditório da FIEMA em São Luís.