UBER – vereadores frouxos e prefeito inoperante

Presidente da Câmara de Vereadores não aguentou pressão dos taxistas

Em decorrência aos transtornos causados à população de São Luís por incoerência dos taxistas durante a manhã e inicio da tarde da última segunda-feira (21), o presidente da Câmara Municipal, vereador Astro de Ogum e outros vereadores, promoveram, após pressão, uma reunião com representantes da categoria de taxistas para buscar uma solução para o problema.

Após a reunião entre os vereadores e taxistas, o presidente Astro de Ogum informou que a mesa diretora da câmara encaminharia um ofício ao prefeito Edvaldo Holanda Junior e à SMTT (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes), pedindo o cumprimento da lei aprovada pelo parlamento, no tocante ao aplicativo UBER e mandando apreender todos os veículos parceiros da UBER, o que de fato ocorreu no final da tarde e inicio da noite de ontem.

O presidente da Câmara de Vereadores firmou acordo com os taxistas que, a partir da próxima quinta-feira, (24), haverá reuniões para discutir um amplo projeto sobre o funcionamento do transporte particular de passageiros no município.

Sob pressão dos taxistas e antes de anunciar a decisão de estabelecer a relação com o executivo, acerca do cumprimento da lei aprovada pelo legislativo, Astro de Ogum disse que “não tenho nenhuma amizade com UBER, e que tudo isso está acontecendo pelo exagero”.

Taxistas criaram o caos no trânsito de São Luís

Astro de Ogum destacou ainda que todos devem agir com coerência (?), mas dentro do que determina o ordenamento da lei, e sobre o funcionamento do aplicativo ele observou que a Comissão de Justiça já aprovou a matéria, devendo a mesma agora partir para a apreciação em plenário. “E por aqui vamos adotando as decisões que podemos, sempre agindo dentro do que disciplina o bom senso e a legislação”. Finalizou o presidente daquela casa.

Participaram da reunião e manifestaram-se favoráveis aos taxistas os vereadores Beto Castro (PROS), Bárbara Soeiro (PSC), Cézar Bombeiro (PSD), Edson Gaguinho (PHS) Genival Alves (PRTB) e Honorato Fernandes (PT), além do presidente do Sindicato dos Taxistas, Renato Medeiros, e representantes do Ligue Taxi, “Comissão Fora Uber” e outros debiloides que trabalham pelo atraso de São Luís e tentam forçar a população a engolir o monopólio dos péssimos serviços prestados de transporte oferecidos através de concessão publica.

Contraponto

Na manhã desta terça-feira (22), motoristas que trabalham utilizando o aplicativo UBER, realizaram um protesto pacifico e sem atrapalhar a vida do cidadão. O ponto de concentração e partida dos profissionais ocorreu na Avenida Litorânea.

Com o anúncio antecipado da manifestação, a Secretária Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) e a Polícia Militar por meio da Companhia de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRV), encaminharam várias viaturas para a Avenida Litorânea, ponto de partida da manifestação dos parceiros UBER.

Os profissionais da UBER foram até a Câmara Municipal, para mais uma vez solicitar que o serviço seja de fato regulamentado. Vale observar que o transporte tem o apoio de grande maioria da população de São Luís. Em várias pesquisas já realizadas, as pessoas demonstraram ser totalmente favoráveis aos serviços da UBER.

 

MP vai apurar descaso na reforma de escolas públicas de São Luís

O Ministério Público do Maranhão deve encaminhar um ofício à Secretaria Municipal de Educação de São Luís, solicitando a apresentação do cronograma oficial das obras, com datas previstas para a conclusão dos trabalhos e início das aulas. A medida foi adotada após constatação de demora no andamento das intervenções estruturais que estão sendo realizadas na Unidade de Educação Básica Henrique de La Roque e seu anexo.

No prédio anexo da UEB Henrique de La Roque, pelo menos 150 alunos do 1º ano do ensino fundamental estão com as aulas suspensas desde o dia 16 de maio. No prédio, o piso está bastante desgastado, a cozinha situa-se em local inadequado, ao lado do banheiro, assim como o bebedouro, que foi instalado muito próximo aos sanitários.

Algumas intervenções estão previstas para o prédio como a troca de equipamentos do banheiro e a colocação de forro nas três salas existentes na unidade. A previsão inicial é que as obras sejam entregues em julho, e as aulas sejam reiniciadas em agosto. “Observamos que as obras nas escolas do município estão sendo realizadas de maneira lenta e de forma incompleta”, afirmou o promotor da 1ª Promotoria de Defesa da Educação, Paulo Avelar.

No prédio principal, onde as aulas do ano letivo começaram no dia 5 de junho, foram feitas melhorias nas instalações elétricas e hidráulicas e no telhado. Também foram instalados ventiladores novos. Mas as paredes continuam sujas e uma parte das salas está sem portas. “A impressão que dá é que nada foi feito, porque as paredes continuam sujas, precisando de pintura. É necessário pensar no bem-estar do aluno e em sua autoestima”, declarou o promotor.

O Ministério Público do Maranhão deverá firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Município, de acordo com a resposta da Semed.

Do G1.com

 

Artista reclama da falta de incentivo cultural e dos constantes calotes pela prefeitura de São Luís

O músico maranhense Edílson Gusmão, que é uma das grandes referência da cultura maranhense, deixou clara sua mágoa com os órgãos culturais de São Luís, que não estariam investindo numa das maiores riquezas maranhenses, que são as apresentações de artistas locais e danças típicas do período junino.

Ao contrário do obvio, a prefeitura de São Luis estaria investindo recursos público em festas privadas, segundo o artista.

Gusmão reclama ainda do calote financeiro que a classe artística leva constantemente em todas as épocas festivas na capital maranhense. Abaixo, o desabafo do artista publicado em redes sociais.

Compartilho minha leitura sobre essa postagem, a quem possa interessar:

Casa cheia e muita alegria no primeiro dia do arraial da Praça Maria Aragão.”

É senhor Secretário, “a casa está cheia mesmo!”. Cheia de pessoas que amam a cultura desse Estado, cheia de pessoas que enxergam no FAZER cultural uma forma de preservação da tradição, cheia de um público sedento de arte, de espetáculo, cheia de artistas, MAS NÃO GRAÇAS A TI!

A casa também está cheia de gente que dedicou e dedica sua vida a esse ofício! Artistas populares que lotam a tal casa a qual te referes por terem construído um legado com responsabilidade e entrega diária, perpassando as temporadas festivas do calendário anual da cidade cuja essência, a política partidária maculou. 

Enquanto “a casa está cheia”, a mesa desses artistas está vazia, as contas estão atrasadas, fornecedores batem às suas portas, músicos vendem seus instrumentos, estúdios fecham as portas, cantores se calam, dançarinos sentam-se, pintores e escultores observam e isso sim, GRAÇAS A TI e ao teu patrão que, RATIFICA-SE COMO UM GESTOR IMATERIAL e sem zelo pela cultura popular do nosso município.

Enquanto “a casa está cheia” por uma festa patrocinada pelo Governo do Estado após a sua secretaria admitir que não tinha recursos para fazê-la, gestores aprovaram suplementação orçamentária para arraial particular e de cunho eleitoreiro. “A casa, na verdade, está cheia” de má vontade e má distribuição da verba destinada para a cultura. Porque não manter a casa cheia com uma suplementação para pagar as festas de anos anteriores? 

“A casa está cheia” realmente, cheia de gestores incompetentes como você! “a casa está cheia” de um prefeito fantasma e negligente, “a casa está cheia” de propostas vazias de políticas públicas para o setor cultural, a casa está muitooooo cheia mesmo!

É senhor Secretário, “a casa está cheia” e o nosso SACO também”!
Finaliza Edílson Gusmão

Caminhão da Prefeitura de São Luís se enrola em fios e quase derruba poste

Um acidente envolvendo um caminhão plataforma da Prefeitura de São Luís deixou parte do bairro ponta d’areia, na manhã desta terça-feira (30), sem internet, telefonia e TV a cabo.

Um trator que estava sendo transportada pelo veículo enroscou no cabeamento de uma empresa de telefonia e quase derrubou um poste. O fato ocorreu na Avenida Dr. Jackson Kepler Lago. Após o enroscamento algumas pessoas levantaram os cabos para que o caminhão pudesse transpor o obstaculo e logo após a passagem deixaram o cabo caído na calçada.

Vários pedestres passavam pela calçada no momento do acidente, e por sorte não houve uma tragédia ocasionada por um motorista inábil ao não ter percepção da altura do trator que transportava em relação ao cabeamento e fios de alta tensão.

E pra completar o desrespeito com as leis de transito, o condutor do caminhão ainda seguiu viagem na contramão no sentido espigão da ponta d’areia, numa avenida de fluxo intenso de veículos.

Até o momento da postagem o cabeamento continuava caído, o que poderá ocasionar outros acidentes envolvendo, principalmente, com ciclistas, motociclistas e pedestres.