A César o que é de César

Para continuar a leitura, aviso logo, nunca votei em candidatos do Grupo Sarney e nem do PT.

Muito se fala que Sarney é a praga do Maranhão, que Sarney é o culpado pelo atraso do Maranhão, que Sarney é isso e aquilo, pois bem.

Vejamos uma pequeníssima parte que a historia registra sobre o que já fez essa “praga” pelo Maranhão e pelo Brasil.

Em 1966 quando o jovem Sarney elegeu-se Governador do Maranhão, o que era o nosso Estado?

Não tinha energia elétrica, a oferta de energia elétrica no Maranhão, que era de 7.500 kW , menor que a do edifício Avenida Central, no Rio de Janeiro, passou para 237 500 kW. Isso graças a sua gestão junto ao Governo Federal para que esse construísse a usina de Boa Esperança.

Não tinha estradas, as estradas passaram de 13 km pavimentados para centenas de quilômetros, que incluíam a BR-135, São Luís – Teresina, que naquela época levava-se 5 dias para chegar a capital piauiense. Fez a Santa Luzia/Açailândia, ligando o nosso estado a BR Belém/Brasília e assim com o resto do Brasil.

Não tinha porto, Foi aberto o Porto do Itaqui, que para tanto, teve que ser feita a barragem do Bacanga, dando vida humana a essa área isolada da ilha. São Luís não tinha água, viabilizou o ITALUIS, trazendo água da cidade de Itapecuru ate nossa capital.

Não tinha Universidade, criou a UFMA, mais tarde viria a criar a UEMA

Para desafogar e proteger a velha São Luís fez a ponte que leva seu nome, para que assim nossa capital se expandisse para outros lados. Com isso fez a barragem da ponta d’areia dando acesso às praias norte e criando a lagoa da Jansen.

Não tinha educação básica, ele criou o programa de educação João de Barro que permitiu a criação de uma escola por dia, um ginásio por mês, uma faculdade por ano. Com a combinação de adaptações do método Paulo Freire com a introdução de uma TV Educativa — a primeira do Brasil — foi possível formar rapidamente professores e monitores que estenderam a educação a todo o Estado, que só tinha um ginásio.

Não tinha saúde e nem Hospital do Estado, Na área da saúde foi construído o Hospital Geral, em São Luís, e criado um grande número de postos médicos no interior maranhense.

Travou uma “luta” ferrenha com Jarbas Passarinho, para provar ao Governo Federal, que só o porto do Itaqui reunia condições para exportar o minério da Vale. Para tanto, mandou buscar Técnicos de Roterdã na Holanda, para fazer os estudos e provou que o Maranhão tem o segundo maior porto do mundo em profundidade. E hoje é o segundo maior porto em exortação do Brasil.

Não tinha habitação popular, fez os conjuntos, Ipase, Maranhão Novo, Filipinho, Cohab I II III e IV. Já como Deputado/Senador, viabilizou o Maiobão, Cidade operaria.

Não tinha uma indústria forte, trouxe a ALUMAR/ALCOA, Vale do Rio Doce e como Senador a SUZANO.

Como Presidente do Brasil vejamos,

Criou o seguro desemprego, o FAT fundo de apoio ao trabalhador, o vale transporte, aos partidos políticos na clandestinidade, deu o reconhecimento, à imprensa, a liberdade de expressão, aos sindicatos, a liberdade de manifestação. Foi o condutor do processo de redemocratização do Brasil. Responsável pela transição pacifica do militarismo para o poder civil. Segundo a ONU.

Criou na Fazenda a Secretaria do Tesouro o SIAFI, unificando o orçamento da União e acabando com a conta-movimento no Banco do Brasil, Usada até com grande sucesso.

No plano econômico, apesar da inflação (em geral acompanhada de correção monetária que evitava a corrosão dos salários), o Governo Sarney alcançou resultados relevantes. A própria inflação, dolarizada, teve uma média anual de 17,3%, segundo estudo da Consultoria Tendências.

O Brasil teve o 3º saldo exportador no mundo. Os resultados de balança de serviços, balança comercial e transações correntes só vieram a ser superado no governo Lula. A dívida externa caiu de 54% para 28% do PIB.

O déficit primário de 2,58% do PIB em 1984 foi substituído por um superávit de 0,8% do PIB em 1989. O Brasil passou a ser a sétima economia mundial. O PIB, medido em dólares (variação cambial) cresceu 119%. O PIB per capita cresceu 99%. A média do índice de desemprego foi de 3,89%, chegando a 2,16% durante o Plano Cruzado e 2,36% em fins de 1989.

Tornou por força de lei a casa própria um bem inafiançável. Criou o projeto reviver, reformando todo o centro Histórico, para que nossa capital concorresse na UNESCO o titulo de PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE, e ganhamos.

Como podemos ver essa “praga” não foi tão mau assim. O mal desse baixadeiro lá das bandas de Pinheiro/São Bento, é ser nordestino, intelectual, poeta e extremante influente na política nacional. O que os sulistas não suportam, e alguns Maranhenses entram na onda. Para eles, o nordeste só tem que ser belas praias, carnaval e celeiro de axés baianos.

Por Boabaid (Poeta)

 

Vamos comparar? Flávio Dino e Hildo Rocha, diferença gigantesca

Hildo Rocha cumpriu até o que não prometeu em campanha, já Flávio Dino…

Durante a campanha eleitoral de 2014, Dino se comprometeu em realizar 65 promessas.  Mas, de acordo com o deputado federal Hildo Rocha, apenas oito foram cumpridas. Um fiasco que o governador teima em desconhecer. Diante do fracasso, tenta a todo custo se apossar de obras projetadas, viabilizadas e iniciadas no governo de Roseana Sarney ganhou a alcunha de governador Xexéu, alusão à ave que tem o hábito de se apossar de ninhos feitos por outras espécies. Veja o vídeo.

Duplicação da BR-135

Dino parece gostar do codinome pois insiste em se apossar de realizações de outros governantes. O episódio mais recente aconteceu durante a inauguração do primeiro trecho da duplicação da BR-135, obra bancada 100% com recursos federais. Um espalhafatoso secretário do governo Dino chegou a divulgar nas redes sociais que a obra era uma realização do governo estadual. Haja peroba.

Todos sabem que Flávio Dino tentou remanejar a emenda de bancada impositiva dos deputados e senadores do Maranhão para o fundo de escola digna. Acontece que para essa finalidade existem recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Hildo Rocha não aceitou, bateu de frente com o comunista, pois sabia que a única forma de assegurar recursos suficientes para a conclusão da primeira etapa da obra, entre Estiva e Bacabeira, seria destinando a emenda de bancada para o término do empreendimento. Os deputados e senadores entenderam tiveram o mesmo entendimento. Os benefícios chegaram. Releia aqui.

Ameaças e intimidações

Embora tenha tentado fazer o remanejamento de verbas, fato que fatalmente iria inviabilizar a conclusão da obra, Dino tentou se apossar do empreendimento. Prova cabal é Dino na solenidade de inauguração, Dino queria falar por último, sendo que por questões protocolares caberia ao ministro dos transportes encerrar o evento.

Diante das negativas, Dino chegou ao cúmulo de intimidar a cerimonialista do Governo Federal que coordenou a solenidade. Dino ameaçou chamar a polícia. Disse que poderia mandar prendê-la por desacato. Ato vergonhoso, ridículo, lamentável.

Gato por Lebre

Não é de hoje que Dino vende Gato por Lebre. Em fevereiro do ano passado em propaganda enganosa do governo Dino alardeou que o Maranhão ocupava o segundo lugar no quesito salários de professores. Mais uma falácia do governo comunista. A lorota gerou revolta na categoria. Dino foi desmentido com veemência. O episódio repercutiu na Câmara Federal. Veja o vídeo. 

Um exemplo louvável

Enquanto Dino envergonha o Maranhão, alguns políticos fazem de tudo para dignificar o mandato. Um exemplo emblemático é o deputado federal Hildo Rocha. O parlamentar elegeu-se defendendo a bandeira do municipalismo. Não decepcionou. Foram necessários apenas nove meses de mandato para o parlamentar conquistar a confiança e o reconhecimento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), maior entidade municipalista do país.  Veja o vídeo.

Ações relevantes

O reconhecimento decorre, entre outros fatores, da atuação em comissões cujos temas convergem para a pauta municipalista: Desenvolvimento Urbano; Finanças e Tributação; Constituição e Justiça; Fiscalização Financeira e Controle; Pacto Federativo e da Reforma Tributária.

Na Comissão de Desenvolvimento Urbano o parlamentar tem sido combativo defensor de ações em favor da melhoria da infraestrutura dos municípios; tem defendido melhorias das rodovias federais; luta, com notória insistência, pela continuidade da duplicação da BR-135 e tem buscado soluções para problemas que ocasionam atrasos nas obras do Programa Minha Casa Minha Vida.

A atuação de Hildo Rocha nas comissões de Finanças e Tributação; Constituição e Justiça; Fiscalização Financeira e Controle; Pacto Federativo e da Reforma Tributária foram decisivas para assegurar melhorar a arrecadação e aliviar crise financeira dos municípios. Rocha propôs a redefinição das regras de arrecadação e patilha do ISS; chamou entidades representativas para debaterem a pauta de reivindicações de interesse dos municípios brasileiros; ouviu os mais renomados especialistas em tributação e debateu o tema com entidades empresariais. Os resultados são inegáveis. As mudanças incluídas na nova legislação do ISS confirmam.

Lei do ISS

As mudanças na legislação do ISS foram efetivadas por meio da Lei Complementar 157/2016, que reformula as normas de arrecadação e distribuição do Imposto Sobre Serviços (ISS). Os parlamentares Hildo Rocha (PMDB/MA) e Soraya Santos (PMDB/RJ) conseguiram incluir no novo regulamento proposta que assegura a todos os municípios o direito de arrecadar o ISS (Imposto Sobre Serviços) de operações com cartões de crédito/débito. Antes esses recursos eram destinados apenas aos municípios Paulistas.

Estudos da CNM indicam que a arrecadação desses tributos ultrapassa R$ 6 bilhões. Antes, os recursos eram recolhidos em favor dos municípios onde estão instaladas as administradoras de cartões. Isso mudou. Com a aprovação da emenda de plenário, o que antes ficava concentrado em pouco mais de 30 localidades passou a distribuído para todos os municípios brasileiros. Veja o vídeo.

Comparação

A título de ilustração, essa conquista irá proporcionar à capital do Maranhão, São Luis, condições para que o município arrecade R$ 60 milhões de Reais por ano. Isso faz muita diferença.

Flávio Dino fracassou, seu governo é só propaganda. Uma lástima. Hildo Rocha é diferente. Trabalha, apresenta resultados, honra os compromissos, dignifica o mandato. A prova mais significativa é o reconhecimento da maior entidade municipalista do país. O Maranhão aplaude, Brasil agradece.

Duplicação da BR-135 é entregue pelo governo federal

Os ministros Maurício Quintella, Moreira Franco e Sarney Filho (PV) – do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação; da Secretaria-Geral da Presidência da República e do Meio Ambiente -, respectivamente, inauguraram ontem trecho de 11 quilômetros da obra de duplicação da BR-135, situado entre a Estiva e o município de Bacabeira.

O ato, que contou com a presença dos senadores Edison Lobão e João Alberto, ambos dos MDB e que chegaram na comitiva dos ministros, foi realizado no KM 25 da rodovia federal.

Ao entregar a obra, o ministro Quintella destacou o empenho do deputado federal Hildo Rocha (MDB) e da bancada federal maranhense pela conclusão dos serviços e reafirmou o compromisso do governo Michel Temer (MDB) com o Maranhão.

“Esse Governo [Michel Temer] resolveu concluir as obras que haviam sido iniciadas, mas estavam abandonas. E hoje, graças a Deus, a cada dia temos agenda de inauguração num estado diferente. […] Essa é uma obra especial. É especial, pela luta da bancada, que colocou emenda de mais de R$ 164 milhões do orçamento impositivo para que a gente pudesse cumprir. É uma obra de engenharia complexa que merece ser comemorada”, disse.

O ministro afirmou que outras obras serão inauguradas pelo Governo Temer, no Maranhão ao longo do ano. “Hoje estamos liberando o trânsito nesse trecho. Até o fim do mês vamos entregar o viaduto em Bacabeira, vamos concluir a pavimentação da pista antiga, já temos mais de R$ 100 milhões garantidos para os lotes 2 e 3 da duplicação e temos orçamento e uma determinação do presidente: se faltar dinheiro, é para mandar mais, para que as obras sejam concluídas”, completou.

Moreira Franco falou sobre a determinação de Temer em dar continuidade às obras federais no estado, por meio do programa ‘Agora é Avançar’ e assegurou prioridade ao Maranhão. “Em breve vamos estar aqui de novo para entregar mais uma obra que o presidente Michel Temer recebeu paralisada. Em março vamos inaugurar o berço 108 do Porto do Itaqui, para que possamos aumentar a capacidade desse importante porto para o crescimento e progresso do nosso país”, enfatizou.

Sarney Filho também destacou a determinação do presidente da República em concluir as obras federais no Maranhão e conclamou a classe política a celebrar o momento, que marcou a inauguração do trecho da obra duplicada da rodovia.

“O momento é de celebrar. Porque quando o presidente Michel Temer assumiu, todas obras estavam paradas. Não tinha estrada, não tinha transporte escolar, não tinha ambulância, evidentemente fruto de uma crise jamais vista no Brasil, da recessão. […] O benefício agora chegou. Eu participei da entrega de casas, do Minha Casa Minha Vida em vários municípios, e todas as elas foram recomeçadas depois que a economia entrou nos trilhos […]. O importante agora é aproveitar o momento para trazer benefícios ao Maranhão. Benefícios como esse [duplicação da BR-135]. É dentro dessa perspectiva que vamos continuar a nossa luta”, finalizou.

Deputados federais, deputados estaduais, prefeitos, vereadores e o governador Flávio Dino (PCdoB), também participaram da solenidade.

Vexame

Durante o discurso do deputado federal Hildo Rocha (MDB), o presidente do Procon, Duarte Júnior e o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, protagonizaram cenas vexatórias. Eles xingaram o parlamentar e tentaram atrapalhar o discurso. A manifestação dos auxiliares de Flávio Dino (PCdoB) foi acompanhada por vaias de servidores militantes que acompanhavam o ato.

Lideranças destacam empenho de Roseana Sarney pela obra

O senador Edison Lobão (MDB), o ministro Sarney Filho (PV) e o deputado federal Hildo Rocha (MDB), destacaram o empenho da ex-governadora Roseana Sarney (MDB), junto ao Governo Federal, pela realização da obra de duplicação da BR-135.

Ao manifestar-se sobre o empreendimento, Lobão lembrou fez referência à emedebista e ao trabalho da bancada maranhense no Congresso, que destinou a emenda impositiva.

Hildo Rocha, por sua vez, afirmou que Roseana foi quem primeiro se mobilizou pela realização da obra e destacou a articulação da emedebista junto ao Governo Federal. “A ex-governadora Roseana Sarney teve papel preponderante para a realização desta obra”, disse.

“Essa é uma obra que teve as mãos de muitas pessoas. Iniciada em 2012, ainda no governo da presidente Dilma – e quem governava o estado era Roseana Sarney -, foi a pessoa que conseguiu fazer com que essa rodovia fosse planejada, projetada e executada”, completou.

O ministro Sarney Filho também falou da mobilização de Roseana pela realização da obra. “Sem dúvida houve um empenho muito grande da ex-governadora e a inauguração hoje não deixa de ser consequência desse empenho”, finalizou.

 

De O Estado/Ronaldo Rocha

A sinceridade de Hildo Rocha e a desfaçatez de Flávio Dino

Durante a cerimônia de liberação do tráfego em pista dupla na Rodovia BR-135, o deputado Hildo Rocha citou um estudo da Confederação Nacional do Transporte (CNT) que colocou o Maranhão entre os piores estados da federação no quesito rodovias estaduais. A citação causou alvoroço, afinal, Flávio Dino não suporta críticas, odeia ouvir verdades. A reação foi imediata. Alguns secretários de Estado não se sentiram constrangidos em vaiar e xingar o deputado enquanto este discursava.

Logo depois foi a vez de Flávio Dino reagir às críticas. “As querelas políticas devem ser deixadas para o período da campanha eleitoral”, bradou o governador. A frase até poderia ser interpretada como um gesto de cordialidade se não tivesse sido pronunciada por um governante raivoso, vingativo, contraditório e dissimulado.

Quem passa o dia todo nas redes sociais estimulando o ódio contra adversários políticos tem autoridade para dizer que querelas políticas devem ser deixadas para o período das campanhas?  Haja peroba.

Mas, a desfaçatez do governador torna-se irrelevante quando o comunista decide pôr em prática outro viés da sua personalidade: a truculência. Dino causou constrangimentos ao cerimonial do Ministério dos Transportes ao exigir a quebra do protocolo. Queria falar por último. Chegou ao cúmulo de ameaçar chamar a polícia para fazer valer a sua vontade. A cerimonialista precisou ser firme para enfrentar o “coronel comunista”. O protocolo foi mantido.

Dino tenta a todo custo vender a imagem de competente, educado, inteligente, cortês e portador de invejável arcabouço intelectual. Mas as atitudes de adolescente birrento e mimado mostram que Dino é apenas personificação da metamorfose ambulante, é só gogó.

Hildo Rocha costuma agir com sinceridade, diz o que pensa, de forma franca, sem rodeios, sem medo, não dissimula. Isso é virtude, traço de personalidade que falta a Flávio Dino, o rei da dissimulação.

Flávio Dino tenta novamente, tirar proveito de obra alheia…

Comunista dispara convites para entrega da duplicação da BR-135, sem que sequer tenha agido em favor da obra; pelo contrário, tentou tirar dinheiro dela, em 2015, segundo revela o deputado Hildo Rocha; inauguração, nesta quinta-feira, se dará com o ministro Maurício QuintelaO governador Flávio Dino (PCdoB) tenta, nesta quinta-feira, 11, mais uma vez, confundir a opinião pública e faturar em obra que não é sua. Desde ontem, o Palácio dos Leões dispara convites à classe política e empresarial para entrega da obra de duplicação da BR-135, no trecho entre Estreito dos Mosquitos e Bacabeira.

A obra será entregue, na verdade, pelo ministro dos Transportes, Maurício Quintela, que chega a São Luís ao lado do deputado federal Hildo Rocha (PMDB), principal ator na cobrança pela realização da obra.

Flávio Dino nunca moveu uma palha sequer pela duplicação da BR-135. Pelo contrário, ele tentou, em 2015, retirar dinheiro da obra para levá-lo ao projeto “Escola Digna”. Só não conseguiu diante da pressão do próprio Hildo Rocha.

“Foi iniciativa minha a inclusão de uma emenda impositiva da bancada para a duplicação da BR-135. Mas o governador queria desviar o dinheiro para seu projeto, que nunca saiu do papel. É cínico que ele, agora, venha tentar tirar proveito da conclusão”, criticou Rocha.

A obra será entregue pelo ministro e por membros da bancada maranhense.

E Flávio Dino, obviamente posará como mero papagaio de pirata…

 

Do blog do Marco Aurélio D’Eça

 

Eficácia do governo Roseana é confirmada em estudo do IBGE publicado pela Folha de São Paulo

A verdade no seu devido lugar. O Jornal Folha de São Paulo publicou, na edição de domingo (03/12), levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que atesta notável conquista do governo de Roseana Sarney. Segundo dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar), no período de 2004 a 2014 o Maranhão foi o Estado que alcançou o maior índice na redução de desigualdades sociais (18.7%).

“Isso comprova que o governo de Roseana Sarney foi eficaz. Mostra que a governadora conseguiu notável desempenho na diminuição da pobreza”, destacou o deputado Hildo Rocha, em pronunciamento na tribuna da Câmara Federal.

É por isso, segundo Hildo Rocha, que o povo clama pela volta de Roseana Sarney. “Antes mesmo desse estudo ficar pronto a população maranhense já sentia a diferença. Agora, que o governo comunista está praticamente no fim, é possível comparar e constatar que em três anos o Maranhão piorou em todos os setores da administração pública”, afirmou Hildo Rocha.

Melhorias e oportunidades

No pronunciamento, Rocha citou algumas realizações marcantes da governadora Roseana Sarney. “Construiu hospitais; implantou programa sociais que renderam excelentes resultados; deu oportunidades para os jovens ingressarem no mercado de trabalho, por meio do Programa Meu Primeiro Emprego; criou o Viva Luz, o Estado pagava energia para famílias de baixa renda”, destacou o parlamentar.

Geração de empregos

Rocha lembrou ainda que Roseana Sarney implantou um inovador programa Maranhão Competitivo e outras iniciativas que contribuíram para atrair investimentos e gerar empregos. “A Suzano, maior indústria de celulose da América Latina, está instalada no Maranhão, na cidade de Imperatriz, graças ao trabalho da governadora Roseana Sarney. A implantação da Suzano deu nova vida à economia de toda a Região Tocantina”, afirmou Hildo Rocha.

Além da Suzano, durante o governo de Roseana Sarney empresas dos ramos de mineração, agropecuária, geração de energia, siderúrgicas e metalurgia, entre outras, se instalaram no Maranhão. “É por isso que pesquisas realizadas por institutos confiáveis indicam que a população quer a volta de Roseana Sarney para governar o Estado. É o reconhecimento pela eficácia, é a verdade ocupando o seu devido lugar nas páginas da história”, concluiu Hildo Rocha.

Oposição lidera a corrida para o Senado, segundo Vox Populi

Sarney Filho e Edison Lobão lideram a corrida ao senado em 2018

A pesquisa Vox Populi, divulgada na última segunda-feira, 4, mostra que a disputa pelas duas vagas par ao Senado estar mais favorável aos pré-candidatos da oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB). O ministro Sarney Filho (PV) e o atual senador Edison Lobão (PMDB), segundo o levantamento, lideram a corrida para senador.

A pesquisa da Vox Populi foi encomendada pela agência de publicidade Jarkata Publicidade. Os dados foram colhidos nos dias 10 a 28 de novembro ouvindo 1007 maranhenses em São Luís e no interior do estado.

Pelo resultado da pesquisa, Sarney Filho vem com 28% seguido de Edison Lobão e Eliziane Gama com 24% os dois. Zé Reinaldo aparece com 22%. Waldir Maranhão aparece com 18% e Weverton Rocha com 15%. Márcio Jardim obteve 9%. Não sabe e não respondeu somou 11% e brancos e nulos, 25%.

Esse percentual é a soma de dois cenários estimulados pela Vox Populi. No primeiro cenário, Sarney Filho aparece com 16%. Ele é seguido por Eliziane Gama (PPS) com 14% e Edison Lobão com 13%. Waldir Maranhão (PP) obteve 11% mesmo percentual do deputado Zé Reinaldo. Weverton Rocha (PDT) aparece com 8% e Márcio Jardim (PT) com 4%. Não sabe e não respondeu somou 6% e brancos e nulos, 15%.

No cenário 2, Sarney Filho também lidera com 12% sendo seguido por Edison Lobão com 11%, Zé Reinaldo também com 11% e Eliziane Gama com 10%. Weverton Rocha vem com 8% e Waldir Maranhão com 7%. Márcio Jardim vem com 5%. Brancos e nulos somou 7% e não sabe e não respondeu, 5%.

Os números mostram que o pré-candidatos da oposição estão melhor posicionados que os pré-candidatos do campo de aliança do governador Flávio Dino.

O pré-candidato que já recebeu publicamente a declaração de apoio de Dino, o deputado Weverton Rocha (PDT), por exemplo, aparece somente com 15% apesar da campanha que vem fazendo para viabilizar o espaço na chapa majoritária de Flávio Dino.

Outro nome posto como provável candidato do governador comunista ao Senado é do deputado Waldir Maranhão (PP), que para agradar Dino chegou a anular a sessão que admitiu o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). O desempenho dele é melhor do que o de Weverton Rocha. O pepessista obteve 18% somando os dois cenários estimulados pelo o instituto.

O deputado Zé Reinaldo Tavares, que deverá ir para o DEM, aparece em melhor posição do que os outros dois colegas governistas. Ele obteve 22%. Apesar de aparecer bem em pesquisas, Tavares enfrenta resistência do grupo governistas para ser um dos nomes ao Senado que comporá a chapa majoritária de Dino.

E mais distante ainda dos comunistas para ser uma provável candidata do governo a senadora é a deputada Eliziane Gama (PPS). Ela aparece empatada com o senador Edison Lobão quando somados os cenários estimulados.

Quadro

Sarney Filho 28%

Edison Lobão 24%

Eliziane Gama 24%

Zé Reinaldo Tavares 22%

Waldir Maranhão 18%

Weverton Rocha 15%

Márcio Jardim 9%

Brancos e nulos 25%

Não sabe ou não respondeu 11%

 

Com informação do Jornal O Estado do Maranhão

Cenário de fracasso

Por qualquer aspecto que se analise, a pesquisa do Instituto Vox Populi sobre a corrida eleitoral maranhense – a primeira de uma empresa nacional sobre o próximo pleito – mostra o fracasso retumbante do governo Flávio Dino (PCdoB), prestes a completar o terceiro ano de mandato. Os números revelam que a população maranhense não engoliu, ou decepcionou-se, com o discurso da mudança comunista pregada em 2014.

Dino tem pouco mais de 1/3 do eleitorado maranhenses, o mesmo que a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), fora do poder há quatro anos e só agora anunciada pré- candidata ao governo.

Talvez até por saber os números do Vox Populi – mesmo porque tem institutos trabalhando para si quase que diariamente. – é que Dino começou a multiplicar por mil ações questionáveis e nada republicanas. Nos últimos dias, a tônica de suas ações é marcada por cooptação de partidos e lideranças em troca de cargos, liberação de convênios milionários a prefeituras vinculadas aos partidos de sua base, além do aliciamento claro de emissoras de rádio, jornais, blogs e emissoras de TV no interior.

O Instituto Vox Populi mostra um cenário ainda mais tenebroso para Flávio Dino em São Luís. Na capital, ele tem apenas a terceira colocação entre os candidatos a governador, perdendo para Roseana e para o deputado Eduardo Braide (PMN), que nem definiu se será candidato.

A população maranhense precisa agora ficar alerta com o nível de endividamento do governo, o gasto desordenado de recursos públicos e a compra de votos. Porque, já está claro por suas próprias ações, Dino vai fazer de tudo para se manter encastelado no Palácio dos Leões.

O Estado/Estado Maior

Descoberto mais um esquema de corrupção no governo Flávio Dino

Um escândalo atrás do outro. Depois da fatídica operação da polícia federal que prendeu dezessete pessoas por envolvimento em desvios de recursos públicos da saúde agora vem à tona mais uma denúncia. Não é apenas na saúde que estão tirando dinheiro público no Maranhão”, afirmou o deputado federal Hildo Rocha em pronunciamento na tribuna da Câmara.

De acordo com o parlamentar, na área da infraestrutura também estão desviando recursos. “A Justiça Federal vai acabar prendendo muita gente porque estão praticando superfaturamento de obras. Na cidade de Brejo, por exemplo, o governo reformou uma praça, colocou apenas o piso. A obra custou R$ 1 milhão e trezentos mil reais. Especialistas dizem que R$ 400 mil seria suficiente. Portanto, houve superfaturamento de quase R$ 900 mil reais”, denunciou Rocha.

As evidências – veja o vídeo 

O deputado usou documentos oficiais do governo para endossar a denúncia. “O Diário Oficial publicou resenha do convênio 014/2017 que foi firmado com a Prefeitura de Pio XII. No documento consta que duas praças serão construídas com R$ 400 mil. Ou seja, a reforma da praça de Brejo, feita diretamente pelo secretário de Flávio Dino (PCdoB) custou R$ 1 milhão e trezentos mil. As duas praças que serão construídas pela prefeitura estão orçadas em apenas R$ 400 mil. Portanto, fica comprovado que houve superfaturamento”, destacou o parlamentar.

Valor omitido

Rocha destacou ainda que a placa de identificação da reforma da praça de Brejo está em desconformidade com a legislação brasileira. “A lei é clara: tem que constar o valor da obra. Mas na placa não havia essa indicação. Esconderam por que?  Porque é obra superfaturada”, afirmou.

Fiscalização

O deputado conclamou os órgãos de controle e o Ministério Público a estenderem as investigações para outros setores da administração pública estadual. “A prática de superfaturamento é evidente. Se fizerem as fiscalizações como devem ser feitas a justiça federal ainda irá prender muitos integrantes do governo comunista”, enfatizou Hildo Rocha.

Hildo Rocha se reúne com novo ministro das Cidades para atualizar demandas do Maranhão

O deputado federal Hildo Rocha foi recebido em audiência pelo novo ministro das cidades, Alexandre Baldy. “Discutimos sobre projetos e demandas do Maranhão, que tramitam no ministério, e tratamos sobre liberação de recursos para construção de casas no âmbito dos programas de Arrendamento Residencial (PAR) e de Habitação Rural (PNHR)”, explicou o deputado.

Recomposição do orçamento

Sobre o corte de R$ 3 bilhões no orçamento deste ano Rocha, que atuou como relator setorial para Desenvolvimento Urbano da Comissão Mista de Orçamento de 2018, debateu com Baldy estratégias para a recomposição das perdas.

“Vamos trabalhar pela recomposição orçamentária buscando, principalmente, anulação em outras áreas. Mostrei ao ministro as ações que fiz para melhorar o orçamento que foi encaminhado pelo executivo. Mais de trezentas emendas foram apresentadas por deputados e senadores e muitas foram admitidas”, comentou Hildo Rocha.

PAC

O prefeito de Buriticupu, Zé Gomes, acompanhou Hildo Rocha no encontro com Baldy. Gomes aproveitou para solicitar a retomada de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que estão paralisadas no município.