Lula deve ser condenado mais duas vezes por Moro nas próximas semanas

O julgamento do TRF-4 é apenas o primeiro petardo contra Lula. Nas próximas semanas, o juiz Sergio Moro deve condená-lo mais duas vezes: pelo prédio do Instituto Lula, comprado com propina da Odebrecht, e pelo sítio de Atibaia, reformado com propina da Odebrecht, da OAS e de José Carlos Bumlai.

Além disso, o acordo da Lava Jato com Antonio Palocci pode ser assinado.

A informação é do site O Antagonista.

Para imprensa mundial Lula é um criminoso condenado, já a imprensa local o trata como candidato

O jogo de interesses dos grupos de comunicação do país estão colocando o Brasil diante de uma situação vexaminosa perante o resto do mundo. Enquanto as principais publicações estrangeiras dão conta do histórico de crimes do petista contra os cofres públicos, enquanto as investigações da Lava Jato avançam e corroboram o depoimento de vários cúmplices de Lula em crimes vergonhosos, a imprensa local o trata como candidato à Presidência da República.

Não apenas a imprensa, mas partidos, lideranças políticas e ministros das mais altas cortes fingem ignorar a vergonha para o país que representa ter entre os pretendentes ao cargo mais alto da nação um criminoso condenado e réu em outras tantas ações penais.

Interessados em assegurar o resgate de regalias mantidas durante a era PT, políticos, membros do judiciário, empresários corruptos, rentistas, sindicalistas, artistas e ativistas da esquerda fingem conviver com naturalidade com a possibilidade de um criminoso apontado como chefe da organização criminosa que assaltou o país por mais de uma década e meia retorne ao poder.

Lula voltou já ocupou as manchetes dos principais jornais do mundo ao longo dos últimos meses em episódios vergonhosos como na ocasião depoimento do executivo da Petrobras, Renato Duque, ao juiz Sérgio Moro. A Agência Reuters distribuiu a notícia informando que Lula sabia sobre esquema de corrupção maciça na estatal petrolífera brasileira.

Segundo a publicação, Rento Duque confirmou que Lula tinha “conhecimento completo” sobre o esquema de retrocesso político que se centrou nos contratos da Petrobras, um ex-executivo de alto escalão. O ex-diretor de engenharia e serviços da Petrobras, Renato Duque, testemunhando no primeiro dos cinco julgamentos de corrupção que Lula enfrenta, disse a um juiz federal que Lula tinha “comando” do esquema.

A engenharia de desvios montada pelo PT de Lula e Dilma na Petrobras acabou se tornando o maior esquema de corrupção conhecido no Brasil. Bilhões foram pagos em subornos, principalmente por empresas de construção, para ganhar contratos com a Petrobras e outras empresas estatais. Mais de 100 pessoas foram condenadas até o momento na esteira da investigação da Lava Jato.

O ex-presidente Lula foi um destes condenados. Além de uma pena de 9 anos e 6 meses de prisão, o petista teve R$ 9.6 milhões confiscados pela justiça e seis imóveis confiscados, que deverão ir a leilão após a confirmação da sentença em segunda instância. Todo os recursos serão devolvidos a Petrobras.

Outras publicações como o The New York Times e o Wall Street Journal destacaram que os Mega-projetos comandados pelos governos do PT tinham como propósito principal a ampliação dos esquemas de corrupção no Brasil e que os recursos desviados dos cofres públicos serviram para financiar as campanhas dos políticos do partido. Os jornais estrangeiros informam que no Brasil, o ex presidente Lula é apontado como o chefe da organização criminosa por vários envolvidos nos esquemas de corrupção descobertos pelas investigações da Operação Lava jato.

Mas a importância de Lula no páreo das eleições de 2018 para os grupos que pretendem assegurar a influência sobre o Estado Brasileiro é crucial. A candidatura de Lula tem o propósito de tornar a disputa mais previsível e fácil de ser controlada por estes grupos. Ao polarizar a disputa com outro candidato comprometido com os velhos vícios e tretas, Lula coloca a disputa sobre o controle dos que tentam manipular o processo democrático. Não estão se importando se vai dar Lula ou seu outro candidato.

O importante é resgatar o comando do Estado e assegurar a volta do acesso ao dinheiro dos cofres públicos por meio de financiamentos camaradas do BNDES, dinheiro barato dos bancos públicos, verbas para sindicatos, movimentos sociais, meios de comunicação, formadores de opinião na imprensa, artistas, rentistas que viviam da inflação e juros altos, e todos aqueles que ficaram órfãos do dinheiro do povo nos últimos meses.

Caso a população cruze os braços diante desta situação vergonhosa, as autoridades competentes vão empurrar com a barriga qualquer decisão sobra a candidatura de um criminoso condenado. Se Lula conseguir ser candidato, pode ser tarde demais para impedir que o Brasil seja resgatado por sua organização criminosa. Segundo ministros do próprio STF, Lula e o PT teriam bilhões no exterior reservados para comprar eleições, incluindo ai dinheiro para os meios de comunicação, ministros dos tribunais, aliados políticos em todo o país e até mesmo fiscais dos tribunais eleitorais.

 

Imprensaviva

Moro vai mesmo mandar Lula para a prisão após condenação em 2ª instância

Ao determinar a prisão de dois executivos da OAS, Léo Pinheiro, e Agenor Franklin Magalhães Medeiro, condenado na Segunda Instância esta semana, o juiz federal Sérgio Moro deixou claro qual procedimento deve ser adotado imediatamente nos casos de confirmação de sentenças por parte do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. “A execução após a condenação em segundo grau impõe-se sob pena de dar causa a processos sem fim e a, na prática, impunidade de sérias condutas criminais”. Moro já condenou o ex-presidente Lula a pena de 9 anos e seis meses e aguarda apenas a confirmação de sua decisão por parte do TRF-4 para determinar a prisão imediata do ex-presidente Lula.

Na decisão divulgada nesta quarta-feira, 20, Moro ordenou a prisão sentenciados pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região a 26 anos e 7 meses de prisão corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. “Obedecendo à Corte de Apelação, expeça a Secretaria o mandado de prisão para execução provisória das condenações de José Adelmário Pinheiro Filho e de Agenor Franklin Magalhães Medeiros”, afirmou o magistrado. Na decisão, Moro afirmou que os executivos colaboraram com a Lava Jato e decidiu deixa-los na carceragem da PF ‘para evitar riscos a ambos’. Léo Pinheiro já está preso na carceragem. O empreiteiro estava custodiado preventivamente.

Em agosto, Moro mandou prender os primeiros condenados na Lava Jato na Segunda Instância. O empresário Márcio Bonilho e o aposentado Waldomiro de Oliveira, apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como “laranja” do doleiro Alberto Youssef. Eles foram condenados em um dos primeiros processos da Operação Lava-Jato, que apurava o pagamento de propina para funcionários da Petrobras, após a compra de tubulações para a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. De acordo com Moro, os dois perderam um recurso que apresentaram TRF-4.

Considerando o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) de que condenados podem ser presos após o trânsito do recurso em segunda instância. O magistrado deve adotar os mesmos procedimentos no caso de Lula, que deve ser apreciado nos próximos meses no TRF-4.

 

Imprensaviva

Moro dá 15 dias para que Lula comprove que os 9 milhões bloqueados são de sua aposentadoria como anistiado político

O ex-presidente Lula vem tentando de todas as formas liberar os R$ 9.6 milhões bloqueados em suas contas por determinação do juiz Sergio Moro. A medida foi uma extensão da pena de nove anos e seis meses de prisão imputada ao petista no processo referente ao triplex do Guarujá, no qual Lula foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro.

Neste segunda-feira, 11, o juiz responsável pelos processos da Operação Lava Jato na Justiça Federal do Paraná, concedeu um prazo de 15 dias para que a defesa de Lula comprove que parte do dinheiro bloqueado judicialmente é oriundo de aposentadoria, conforme o petista vinha alegando. Em julho, Moro ordenou o bloqueio e sequestro de bens de Lula até o total de R$ 13,7 milhões como indenização por desvios feitos na Petrobras.

A defesa de Lula alega que o petista recebe uma aposentadoria de cerca de R$ 8.900 por mês. Desde 1993, ele tem direito ao benefício por ser anistiado político.

Na decisão desta segunda, Moro disse que a defesa deve apresentar os extratos da conta em que Lula recebe a aposentadoria, “a fim de demonstrar que os créditos têm apenas essa origem.” O juiz destacou que o Banco Central “bloqueia o saldo do dia, não impedindo a movimentação da conta posteriormente ou o recebimento nela de novos créditos”.

Lula terá certa dificuldade em comprovar suas alegações

Segundo a BrasilPrev, o petista fez o aporte de R$ 9 milhões em apenas um dia. Clique no link a seguir (Previdência privada do Lula ) para ter acesso ao ofício enviado pela BRASIL/PREV ao juiz Sérgio Moro, indicando aporte único de valores, com saldo atualizado de R$ 7.190.963,75 para o VGBL nº 097522910, em nome da LILS Participações, empresa de palestras do ex-presidente, e R$ R$ 1.848.331,34, no VGBL nº 097401684, na pessoa física de Luis Inácio Lula da Silva, que, somados, perfazem R$ 9.039.295,09. A BRASIL/PREV não soube informar se Lula levou o dinheiro em caixas, mochilas ou em uma caminhonete. O certo é que aquela montanha de dinheiro não era proveniente de nenhuma aposentadoria.

 

Imprensaviva

Prisão de Lula deixará esquerda sem liderança

A esquerda brasileira deve sofrer um duro golpe, caso o ex-presidente seja preso nos próximos meses que antecedem as eleições de 2018. Apesar de ter se tornado inviável politicamente devido ao seu altíssimo índice de rejeição entre os eleitores, o petista ainda é um bom puxador de votos no nordeste e entre pessoas de menor grau de instrução.

É fato que se não fosse Lula, a maior parte das lideranças petistas jamais teria sido eleita. Gente sem qualquer traquejo como Lindbergh Farias, Gleisi Hoffmann e Fernando Haddad não teriam vencido nem eleição para vereador, não fosse o empenho de Lula. Os desesperados com a prisão de Lula chegam babar quando ofendem o juiz Sérgio Moro, que por obra do acaso do destino, pegou os casos que incriminam Lula.

O petista ajudou a eleger ainda praticamente todos os políticos de outros partidos da esquerda, como Psol, PCdoB e REDE. Sem Lula no palanque, com seus discursos de ódio contra as zelites, com suas metáforas futebolísticas e sem seu testemunho de homem pobre de origem humilde, os pseudo intelectuais da esquerda não terão o que dizer aos eleitores tradicionais da esquerda brasileira.

Este é o verdadeiro motivo de tanto desespero com a possível prisão de Lula e o seu banimento da cena política nacional. A esquerda não possui absolutamente nenhum nome capaz de puxar votos. Marina Silva conseguiu eleger apenas cinco prefeitos em cidadezinhas com menos de 20 mil habitantes nas últimas eleições municipais. Ter

Dilma como madrinha transforma qualquer palanque num Titanic. Jandira Feghali que o diga. A comunista obteve apenas 3,34% dos votos na disputa pela prefeitura do Rio. Alessandro Molon, apenas 1,43%.

Embora Lula também não tenha conseguido eleger nem mesmo seu filho vereador na cidade onde mora, em São Bernardo do Campo, e nenhum prefeito no nordeste, o petista ainda teria forças para eleger alguns deputados federais e quem sabe até um senador no Acre. Isso se estiver solto em 2018.

 

Imprensaviva

Se Lula vivia dizendo que não tinha nada, por que entrou na Justiça para reaver os imóveis e os milhões na conta?

O ex-presidente Lula vivia se gabando de ser pobre, que os imóveis que ocupava eram de seus amigos e desafiava a justiça a provar que ele tinha alguma conta com R$ 0,10 centavos que fosse de dinheiro recebido de empresários.

Ao ser sentenciado pelo juiz Sérgio Moro como culpado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, o magistrado recomendou pena de prisão de 9 anos e 6 meses e ainda determinou o bloqueio de seis imóveis, dois veículos e contas em nome do ex-presidente nas quais foram confiscados R$ 9.6 milhões.

No mesmo dia, Lula, através de sua defesa, pediu ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) a suspensão imediata do sequestro e o arresto de bens e valores do petista “Pedimos a concessão de medida liminar para suspender, de imediato, os efeitos da decisão de primeiro grau para que haja a restituição da disponibilidade dos bens e valores de Lula e, ao final, para que seja reconhecida definitivamente a ilegalidade da decisão impugnada, com a consequente declaração da sua nulidade”, diz trecho de comunicado assinado pelos advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Martins.

Se Lula sempre disse que não tinha nada, por qual motivo entrou com um mandado de segurança na Justiça para liberar os bens e o dinheiro que sempre disse que não era dele?

Na despacho em que decretou o bloqueio de bens de Lula, Moro afirmou que a medida é necessária para reparação de danos à Petrobras.

Imprensaviva

Lula e PT criam tribunal de esquerdopatas para julgar Sérgio Moro em 11 de agosto em Curitiba

O PT está imitando o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que convocou uma Assembleia Nacional Constituinte ilegítima para “redigir uma nova Constituição” com a missão de “reformar o Estado”. A diferença é que o PT tenta criar a figura de um estado paralelo, com tribunal e tudo.

É isso mesmo. Inconformados com a condenação de seu líder máximo pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, os seguidores de Lula resolveram criar o tal do “Tribunal Internacional Popular” exclusivamente para julgar o juiz federal Sérgio Moro.

A turma de Lula planeja julgar o magistrado no próximo dia 11 de agosto, em Curitiba, cidade que sedia a força-tarefa da Operação Lava Jato. O responsável pela acusação será ninguém menos que o ex-ministro relâmpago da Justiça do governo Dilma, Eugênio Aragão, aquele mesmo que afirmou há poucos dias que é preciso ter mais tolerância com crimes de corrupção.

O evento vai reunir advogados militantes do PT e da esquerda brasileira, como Marcello Lavenère, Gisele Citadino, Antônio Maues, Juliana Teixeira, Gerson Silva, Beatriz Vargas, Luciana Grassano e Cláudia Maria Barbosa no corpo de jurados; do juiz de direito em Alagoas, Marcelo Tadeu Lemos, como juiz presidente da sessão de julgamento popular. Além de advogado Eugênio Aragão, como responsável pela acusação e do criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que fará a defesa da lava jato.

Com o lema “A lava jato no banco dos réus, o Povo é o Juiz”, o Tribunal Internacional Popular tem como logomarca oficial uma fotografia estilizada de um ‘sorridente’ Moro ao lado do ‘feliz’ senador tucano Aécio Neves.

O evento é uma iniciativa dos coletivos “Advogadas e Advogados Pela Democracia” e “Frente Brasil de Juristas Pela Democracia”, entidades sem sede, criadas de última hora com nomes pomposos criados apenas para iludir os súditos sem instrução de Lula. É claro que o tal do Tribunal Internacional Popular é uma grande palhaçada e o que quer que saia dali servirá apenas para alimentar os blogs sujos do PT com manchetes espetaculosas. De qualquer forma, é aconselhável que a população de Curitiba acompanhe o andamento desta presepada de perto.

URGENTE – Lula é condenado a 9 ano e meio de prisão

O juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, condenou a nove anos e seis meses prisão nesta quarta-feira (12) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O petista era acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, crimes nos quais estaria envolvido um apartamento tríplex no Guarujá (SP).

Neste processo, a suspeita contra o ex-presidente era de que ele havia recebido R$ 3,7 milhões em propina por conta de três contratos entre a empreiteira OAS e a Petrobras.

Segundo o MPF (Ministério Público Federal), que ofereceu a denúncia em 14 de setembro do ano passado, o valor teria sido repassado a Lula por meio do tríplex e do pagamento pelo armazenamento de bens do petista entre 2011 e 2016, como presentes recebidos no período em que ele era presidente.

Os procuradores pediram a condenação do ex-presidente à prisão, em regime fechado, e o pagamento de uma multa de mais de R$ 87 milhões. A Petrobras, que participou do processo como assistente de acusação, concordou com a posição do MPF.

Já a defesa de Lula pediu a absolvição de seu cliente e comparou o chefe da força-tarefa da Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol, a Hitler. Dallagnol ficou conhecido pelo uso de um Power Point ao apresentar a denuncia contra Lula.

Os procuradores pediram a condenação do ex-presidente à prisão, em regime fechado, e o pagamento de uma multa de mais de R$ 87 milhões.

Antecipando o obvio, PT afirma que “não aceitará condenação a Lula”

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, em Nota Oficial divulgada no início da tarde desta segunda-feira (26), rechaçou matérias na velha mídia golpista dando como certa a condenação do ex-presidente Lula no âmbito da Lava Jato.

“Uma hipotética condenação de Lula teria como único objetivo afastá-lo das eleições de 2018, o que é absolutamente inaceitável”, afirma um trecho da Nota do PT.

De acordo com o documento oficial, a militância petista dará “resposta adequada’ para qualquer sentença que não seja a absolvição completa e irrestrita de Lula”.

“Os boatos causaram indignação na militância petista e em todos os segmentos da sociedade brasileira preocupados com a manutenção da Justiça e do Estado Democrático de Direito em nosso país”, ressalta a manifestação.

O Blog do Esmael repercutiu neste fim de semana e replicado pelo blog do Joni Rocha matéria de capa da revista IstoÉ como vazamento da suposta condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex do Guarujá.

O PT afirma que condenar Lula num momento em que o Congresso Nacional avança contra os trabalhadores e o povo brasileiro, políticos conservadores são inocentados e preservados, que bandidos são soltos para viverem nababescamente no exterior, significaria desferir um golpe mortal contra a justiça e a democracia do Brasil.

“Sem Lula, as eleições presidenciais não terão legitimidade e não passarão de uma fraude contra o povo brasileiro”, frisa a Nota Oficial do PT.

A seguir, leia a íntegra da Nota Oficial:

 Nota oficial: Lula é inocente

O Partido dos Trabalhadores vem a público se manifestar sobre matérias publicadas pela imprensa no final de semana, referentes à suposta condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex do Guarujá. Os boatos causaram indignação na militância petista e em todos os segmentos da sociedade brasileira preocupados com a manutenção da Justiça e do Estado Democrático de Direito em nosso país.

Frente a esse momento grave da história do Brasil, a Direção Nacional do PT informa que acompanha atentamente a evolução desse processo judicial, na certeza de que não existe nenhuma possibilidade de sentença justa que não seja a absolvição do ex-presidente.

Frente à inexistência absoluta de provas que possam embasar as denúncias contra Lula, nossa militância segue atenta e mobilizada para, junto com outros setores da sociedade brasileira, dar a resposta adequada para qualquer sentença que não seja a absolvição completa e irrestrita de Lula. Não aceitaremos vereditos baseados em indícios falsos e especulações partidarizadas, conforme possibilidade que já vem sendo aventada pela imprensa, e que contrariem até documentos oficiais de órgãos públicos que atestam que o ex-presidente nunca foi proprietário de tal imóvel.

No momento em que avançam no Congresso Nacional propostas contra os trabalhadores e o povo brasileiro, e políticos conservadores são inocentados e preservados e que bandidos são soltos para viverem nababescamente no exterior, condenar Lula, o maior líder popular na nossa história, significaria desferir um golpe mortal contra a justiça e a democracia do Brasil.

Uma hipotética condenação de Lula teria como único objetivo afastá-lo das eleições de 2018, o que é absolutamente inaceitável. Sem Lula, as eleições presidenciais não terão legitimidade e não passarão de uma fraude contra o povo brasileiro.

Viva a Democracia!

Viva o presidente Lula!

Senadora Gleisi Hoffmann,
Presidenta Nacional do PT

 

Juiz Sérgio Moro manda Lula pagar tradutor

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá de arcar com custos de tradução para duas de suas testemunhas que serão ouvidas em ação penal sobre suposto recebimento da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato. A determinação é do juiz federal Sérgio Moro.

O magistrado autorizou anteontem a vinda de um tradutor para Curitiba desde que a defesa pague por estas despesas.

As duas testemunhas, Jonathan Kellner e Juan Giraldez, fazem parte de um rol de 87 pessoas convocadas pela defesa. O advogado Cristiano Zanin Martins, que representa Lula, havia informado a Moro sobre a “imprescindibilidade” de um profissional “com expertise na tradução da língua inglesa para a língua portuguesa e vice-versa” para acompanhar as audiências.

“Em que pese as referidas testemunhas residirem no Brasil, devendo possuir certo conhecimento de nosso idioma, é prudente que seja designado tradutor para acompanhar o ato”, requereu o advogado de Lula. Moro autorizou o uso de um tradutor. “Sendo prova de interesse da defesa, deve ela providenciar a vinda de tradutor para Curitiba ou para São Paulo para realizar a tradução e arcar com os custos decorrentes”. Finalizou Sergio Moro

Palestras

A Polícia Federal encaminhou para a força-tarefa do Ministério Público Federal o inquérito que apura crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro supostamente praticados pelo ex-presidente Lula em sua empresa de palestras, a LILS Palestras, Eventos e Publicações aberta em 2011, após o petista deixar o governo.

Essa investigação no âmbito da Lava Jato é uma das que ainda poderão virar denúncia criminal, a ser apresentada ao juiz Moro, que conduz a operação na primeira instância.

Em nota, o Instituto Lula negou irregularidades e afirmou que “todas as palestras do expresidente foram feitas e pagas com as devidas emissões de notas e pagamentode impostos”.

O instituto disse ainda que cobrou o mesmo valor e condições para palestras em mais de 40 empresas e setores diversos, e que todas as informações sobre as atividades estão disponíveis na internet.

Tríplex

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou ontem pedido de liminar feito pela defesa de Lula da Silva para suspender a ação penal sobre o triplex no Guarujá. O petista é acusado de lavagem de dinheiro e corrupção pela força-tarefa da Lava Jato.