Após visita de Lula ao Maranhão, Flávio Dino é chamado de cúmplice de bandidos na imprensa nacional

O desespero dos ativistas de esquerda aumenta, na medida em que o ex-presidente Lula vê sua situação se complicando na Lava Jato.

Nervoso com o fracasso da caravana da vergonha pelo Nordeste, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), João Pedro Stédile, chamou o juiz Sérgio Moro, de “merdinha” e “bundão” durante discurso em São Luís (MA), no ato de encerramento da caravana da vergonha.

Irritado com Stédile com o novo depoimento que Lula terá prestar a Moro na próxima quarta-feira, 13, no âmbito da ação penal que investiga se o petista recebeu propinas da construtora Odebrecht, Stédile perdeu completamente a compostura. “Agora, no dia 13 de setembro, quando aquele merdinha do juiz de Curitiba…”, disse Stédile, sendo aplaudido em seguida. “Não é merdinha, é bundão, do Moro, que não tem moral nenhuma para criminalizar o Lula. Nós dos movimentos populares estaremos em Curitiba para dizer não mexa com Lula que mexe nós.

Lula sorria ao fundo do palanque, enquanto Stédile se encarregava de estimular o ódio dos militantes presentes contra o juiz Moro. No palanque, cúmplices da bandidagem de Lula, como o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), o senador Humberto Costa (PT-PE), deputado Waldir Maranhão (PP) e políticos locais.

Imprensaviva