Governador Flávio Dino, como sempre contraditório

Governador Flavio Dino e o seu pai, Sálvio Dino.

O governador e candidato a reeleição ao governo do estado pelo PCdoB, Flávio Dino, insiste na expressão “oligarquia” quando se refere à uma provável e consistente candidatura de Roseana Sarney (PMDB). Só que o governador comunista esquece, ou finge que esquece, que o seu pai, o jornalista Sálvio Dino (a direita na foto), até pouco tempo atrás fazia parte do governo do estado como assessor da Secretaria Extraordinária de Desenvolvimento do Sul do Maranhão (SEEDESMA), tendo Roseana como chefe dele.

Soube por parte de alguns aliados do Flávio Dino, que ele continua não se relacionando muito bem com o seu pai, fato que respeito por ser uma situação estritamente familiar, agora, acolher uma postura de adversário político do próprio pai, e o pior, chamá-lo de oligárquico é uma situação de falta de respeito e uma grande maldade com uma pessoa que muito ajudou na história literária e cultural do Maranhão. Se bem que este tipo de situação é característico dos comunistas, onde esquecem até mesmo das suas próprias origens e se empenham somente nas ideologias partidárias.