Hildo Rocha desmonta mais uma farsa de Flávio Dino

Foto: Lucas Dias/GP1

Flávio Dino foi apontado pelo portal G1 como um dos piores governadores do Brasil ao não cumprir suas promessas de campanha, (registradas no Tribunal Superior Eleitoral em 2014) quando disputou o governo do Maranhão.

Em seu plano de governo, o comunista apresentou à Justiça Eleitoral um total de 65 promessas, concretizando até o presente momento apenas 7, cumprindo em parte um total de 10 e deixou de cumprir até o momento 48 promessas de campanha.

Para a equipe do G1, o governo Flávio Dino informou que foram apenas 37 promessas de campanha realizadas em seu programa de governo nas eleições de 2014, quando na realidade foram 65 propostas.

Ou seja, Flávio Dino, além de mentiroso, é um dos piores governadores do Brasil.

Abaixo, algumas das 65 promessas de Flávio Dino na campanha de 2014, registradas no TSE. No site da Justiça eleitoral, podem ser conferidas todas elas.

1- Programa Água para todos: NÃO CUMPRIU

2- Minha Casa, meu Maranhão (prometeu construir 200 mil casas): NÃO CUMPRIU

3- Programa Segurança Para Todos- NÃO CUMPRIU (Só em 2017 foram assassinadas mais de 600 pessoas em São Luís)

4- Programa Pacto Pela Vida- NÃO CUMPRIU

5- Direitos a Policiais- CUMPRIU EM PARTE

6- Aumentar a rede de vagas no sistema de segurança- NÃO CUMPRIU

Para o deputado Hildo Rocha, o comunista Flávio Dino e sua equipe de governo, foram capazes de enganar até o G1 da Rede Globo.

Deputado Hildo Rocha desmonta mais uma farsa do governo Flávio Dino

“É impressionante como o governo Flávio Dino não gosta da verdade. Eles repetem uma mentira até que ela se torne verdade, porque entre a verdade e a versão, eles preferem a versão, ou seja, para os comunistas, pouco importa se a mentira é grande ou pequena. Em nenhum momento, o Portal G1 da Rede Globo, afirmou que ele [Dino] seja o melhor governador do Brasil, e muito menos que ele esteja entre os melhores. Na verdade, foram 65 promessas em seu plano de governo nas eleições de 2014 registrado no TSE, com um total de apenas sete que ele cumpriu, cumprindo em parte dez, e deixando de cumpriu 48, onde dessa forma, ele se torna um dos piores do País”, afirmou Hildo Rocha ao Blogueiro Gildásio Brito, do minutobarra.com.br

Com informação do blog minutobarra, com adição

Temer não podia nomear para ministério um aliado de ‘um dos mais severos críticos’ ao seu governo, diz assessor

Pedro Fernandes e Flávio Dino, aliados de primeira hora

O presidente Michel Temer desistiu de nomear o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) ao Ministério do Trabalho por ele ser um aliado de um “dos mais severos críticos de seu governo”, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B).

Essa é a justificativa dada por um assessor direto de Temer para a desistência de aceitar a indicação de Pedro Fernandes para substituir Ronaldo Nogueira na pasta.

A mudança de rumo na escolha do novo ministro do Trabalho se deu depois de conversas do ex-presidente José Sarney com interlocutores do presidente Temer, lembrando que, hoje, Pedro Fernandes é ligado a Flávio Dino, inimigo político da família Sarney no Maranhão e adversário do Palácio do Planalto.

Antes, o deputado foi aliado do ex-presidente e chegou a ser secretário da filha dele, Roseana Sarney, durante um de seus mandatos como governadora do estado.

O assessor presidencial disse que em nenhum momento o Palácio do Planalto confirmou oficialmente o nome de Fernandes como novo ministro do Trabalho, mas ele chegou, sim, a ter uma aprovação inicial de Temer.

Foi na última quarta-feira (27), durante conversa em seu gabinete no Planalto com o presidente do PTB, Roberto Jefferson, e com o líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes, na qual Ronaldo Nogueira formalizou seu pedido de demissão.

Assessores de Temer destacaram ainda que o filho de Pedro Fernandes, Pedro Lucas Fernandes, trabalha no governo de Flávio Dino e vai disputar a próxima eleição para deputado federal aliado ao atual governador na sua campanha pela reeleição.

“Não dava ter no governo um ministro cujo filho iria fazer campanha contra o Temer, aliado de um dos mais severos críticos do seu governo”, afirmou um auxiliar do peemedebista.

Do G1

FELIZ ANO NOVO!!!

Se usar a cor branca atraísse paz, nenhum médico sofreria de depressão. Se usar amarelo atraísse dinheiro, o pessoal dos correios estaria rico. Se usar vermelho nenhum bombeiro se divorciaria.

Não adianta passar a virada do ano de branco e passar o resto do ano em trevas!

O ano novo que se aproxima não terá nada de novo se nós não tivermos novas atitudes.

Que em 2018 possamos ser: Melhores pais, melhores maridos, melhores esposas, melhores mães, melhores filhos, melhores amigos e melhores cristãos.

Que em 2018 não venhamos a repetir os mesmos erros de 2017.

Que em 2018 possamos abraçar mais, elogiar mais, agradecer mais…

Que em 2018, Jesus possa ser o centro de todas as nossas atenções!

Feliz 2018!!!

 

PT, de partido político a descascador de abacaxi em 2018

A possibilidade de ver o encolhimento do número de candidatos eleitos nas eleições de 2018 não chega a ser a maior preocupação dos dirigentes do PT em relação ao futuro.

Com dezenas de ocupantes de cargos nas assembleias legislativas, no senado e em governos estaduais investigados, a certeza de que a maioria deles não conseguirá se eleger nas próximas eleições leva a uma conclusão bastante sombria: todos vão perder a prerrogativa do foro privilegiado.

A situação da maioria dos políticos eleitos pelo PT é mesmo dramática e muitos podem ir parar atrás das grades logo que perderem seus mandatos. Com 9 senadores, número inferior a 2015, quando contava com 13. Do total, 7 parlamentares têm seus mandatos encerrados no ano que vem. Quase todos são réus.

Se a situação não é boa para os senadores petistas, a situação dos governadores eleitos pelo partido também não é lá um mar de rosa. Estão sendo investigados Tião Viana (PT), governador do Acre e Fernando Pimentel (PT), governador de Minas Gerais. Rui Costa (PT) governador da Bahia, Camilo Santana (PT) governador do Ceará e Wellington Dias (PT), governador do Piauí.

A lista de deputados federais do partido investigados também é extensa. Arlindo Chinaglia (PT-SP), Andres Sanchez (PT-SP), Carlos Zarattini (PT-SP), Décio Lima (PT-SC), José Mentor (PT-SP), Maria do Rosário (PT-RS), Nelson Pellegrino (PTBA), Vander Loubet (PT-MS),Vicente “Vicentinho” Paulo da Silva (PT-SP), Vicente Cândido (PT-SP), Zeca Dirceu (PT-SP) e Zeca do PT (PT-MS) são apenas alguns dos nomes que podem enfrentar sérios problemas com a Justiça a partir de 2019, caso não consigam se reeleger.

Como se não bastasse, o líder máximo do PT, o ex-presidente Lula, é o que está mais próximo da prisão. Como não possui foro privilegiado, os processos que pesam contra o petista correm normalmente em várias instâncias do país. No dia 24 de janeiro, o petista terá um recurso julgado por um colegiado de segunda instância. Ao que tudo indica, 2018 será mesmo o ano da extinção do PT.

 

Janot nunca tentou impedir o indulto natalino enquanto esteve à frente da PGR

O ex-PGR Rodrigo Janot, nas redes sociais, criticou com certa razão o indulto natalino concedido pelo governo. Neste ano, como em todos os outros, criminosos serão liberados da prisão para que possam comemorar o Natal.

O que Janot disse, inclusive, se encaixa perfeitamente com a visão de Raquel Dodge:

“Em boa hora e no ponto, a PGR Raquel Dodge propôs ação de inconstitucionalidade contra o absurdo decreto baixado pelo presidente Temer, que indulta criminosos de todo o tipo, especialmente corruptos. Este é mais um movimento do governo contra a Lava Jato.”

Neste caso, Janot está objetivamente certo. O indulto jamais deveria acontecer. Essa ação promove, anualmente, diversos casos de presos que simplesmente fogem do sistema e que permanecem foragidos, também promove casos em que pessoas liberadas da prisão simplesmente voltam a cometer crimes, o que deixa a sociedade em um risco maior do que o já existente. O problema nesta situação é outro e tem a ver justamente com a pessoa de quem se está falando.

Rodrigo Janot foi o Procurador Geral da República nos últimos anos. Conseguiu o cargo ainda no governo Dilma. Antes, no entanto, ele não criticava o indulto. Diferente de Raquel Dodge, atual PGR que entrou no STF para que o indulto fosse barrado, Janot jamais se manifestou contrário a isso até então. Por que agora, quando não está mais no cargo, ele decidiu bancar o defensor da Justiça?

Se Raquel Dodge tem em suas mãos o poder de pelo menos tentar vetar o indulto, o que impediu que Janot fizesse o mesmo nos anos passados? O indulto natalino acontece todo fim de ano e há muito tempo, não é uma invenção de Temer. O atual presidente apenas seguiu o barco e manteve a mesma tradição deplorável dos governos anteriores.

 

Partidos de saída

Embora o agora virtual ministro do Trabalho, Pedro Fernandes, negue ou reafirme o contrário, a permanência do seu PTB na base do governo Flávio Dino (PCdoB) é uma impossibilidade do ponto de vista do pragmatismo do jogo político de Brasília.

O comunista maranhense é um dos mais mordazes críticos do governo Michel Temer (MDB), que chama de “golpista”. Difícil, portanto, que o Palácio do Planalto aceite ter um dos principais auxiliares na base desse crítico.

Mas as dificuldades de coligação de Flávio Dino com partidos que não fazem parte do espectro político onde está situado o seu PCdoB são mais reais do que a mera defecção do PTB. O comunista sabe que dificilmente terá em seu palanque legendas como o DEM, o PP e até mesmo PSB e PPS, que têm interesses nacionais em jogo para 2018.

Todos esses partidos se alinham no campo mais à direita do espectro político. E Dino se declara de esquerda, com valores de esquerda e visão de esquerda na economia, na política e na ideia de Estado.

De postura mais liberal – e antenados com a onda liberal que mobiliza a Europa – esses partidos tendem a extrapolar o debate na eleição de 2018, fazendo o contraponto ao conceito de Estado interventor e controlador, com economia basicamente estatal, defendido por Dino e seus aliados de esquerda, como PT e o PDT.

Ainda que o governador tente repetir a postura furta-cor que adotou em 2014 – abraçando, ao mesmo tempo, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) – a beligerância do processo de 2018 vai dificultar as coisas para ele. E tudo começa já agora, com o caminho do PTB.

 

O Estado/Estado Maior

Senador do PT promete baderna e desobediência civil no julgamento de Lula – VÍDEO

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ), voltou a pregar a violência e a desobediência civil como a melhor tática de confronto contra o julgamento do ex-presidente Lula no dia 24 de janeiro em Porto Alegre. O senador foi um dos incentivadores das cenas de violência e depredação do patrimônio público, como as vistas na Esplanada dos Ministérios em Brasília durante o mês de maio, quando defendeu que a desobediência civil e a violência eram as únicas formas de derrubar o presidente Michel Temer.

Assim como os demais petistas e simpatizantes da esquerda, Lindbergh Farias é uma contradição ambulante. O senador defendia que Temer deveria ser julgado no caso das denúncias feitas pelo ex-procurador-geral da República com base em um controverso acordo de delação com os criminosos da JBS. A situação agora é outra e Lindbergh Farias e os ativistas de esquerda querem que Lula não seja julgado. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o TRF-4, irá julgar em janeiro o recurso do ex-presidente Lula, condenado na Primeira Instância a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

O TRF-4 é um colegiado de Segunda Instância. Caso os desembargadores confirmem a sentença de Lula no caso do triplex do Guarujá, o petista cai na Lei da Ficha Limpa, se torna inelegível e pode se tornar alvo de um mandado de prisão, que pode ser expedido tanto pelo TRF-4 quanto pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pela 13ª Vara Federal do Paraná.

 

Imprensaviva / Foto:Dida Sampaio-Estadão

Deputado Weverton Rocha, mais um caroneiro das ações do governo federal

O deputado federal e candidato declarado ao senado pelo PDT, Weverton Rocha, quer pegar carona nas ações do governo federal ao insinuar, nas redes sociais, que ele distribuiu dezenas de carros para utilização nos Conselhos Tutelares em vários municípios maranhenses.

Para promover e fortalecer a atuação dos Conselhos Tutelares a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) começou, ainda em 2011, a fornecer a estes conselhos equipamentos fundamentais, garantindo assim condições adequadas de funcionamento para que o trabalho deles seja o mais eficiente e eficaz possível. Atualmente, esses equipamentos incluem um automóvel, cinco computadores, uma impressora multifuncional, um refrigerador e um bebedouro.

Na realidade, o deputado Weverton Rocha quer pegar carona até nos pingos de água das torneiras da duplicação da adutora ITALUIS, que foi financiada pelo governo federal, tendo o governo do estado como órgão executor e não tendo a capacidade sequer de concluir 10% da obra após 3 anos.

Weverton Rocha já é velho conhecido no Maranhão como deputado migueleiro, aquele que não cumpre suas promessas de campanha e adora pegar carona nas ações e imagens alheias.

PGR encaminha denúncia contra a Rede Globo ao Ministério Público Federal

A Rede Globo deve enfrentar uma série de inconvenientes a partir do próximo ano para explicar o envolvimento em esquemas de corrupção na aquisição de exclusividade na transmissão de campeonatos de futebol.

A Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, encaminhou para o MPF (Ministério Público Federal) do Rio de Janeiro uma denúncia contra a Rede Globo e o presidente do Grupo Globo, Roberto Irineu Marinho. A acusação é de pagamento de propina na compra de direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2026 e 2030, além de jogos da Libertadores e da Copa Sul-Americana. As informações são do UOL.

Os denunciantes usaram o depoimento do ex-executivo argentino Alejandro Burzaco, da Torneos y Competências, que afirmou que emissoras de diversos países, incluindo a TV Globo, pagaram propinas para garantir direitos de transmissão de jogos.

Leia aqui a íntegra da representação feita à PGR.

O processo do qual Burzaco é delator envolve ex-dirigentes da Fifa, da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e de outras federações acusadas de receber propina para fraudar a venda de direitos em eventos esportivos.

Em seu depoimento, o empresário citou o ex-diretor de esportes das emissora Marcelo Campos Pinto e o empresário Jota Hawilla.

Câmara aprova novas regras para cortes de água, luz e telefone

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou proposta que fixa uma série de normas de proteção ao consumidor dos serviços públicos de água, energia elétrica e telefonia.

Pelo texto, a interrupção do fornecimento de água e de luz por inadimplência somente poderá ser executada 90 dias após o vencimento da conta não paga, no caso de consumidor residencial. No caso do consumidor comercial, o corte poderá ocorrer 30 dias após o vencimento.

No caso da telefonia, a interrupção somente poderá ser executada 30 após o vencimento – mesmo prazo já previsto na regulamentação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Em todos os serviços, será obrigatório o envio de aviso prévio do corte com 15 dias de antecedência.

Justiça

A regulamentação vai solucionar a falta de consenso na Justiça sobre o tema. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) tem posição mais favorável ao consumidor – a jurisprudência proíbe o corte no fornecimento, mesmo em caso de inadimplência. Já o Supremo Tribunal Federal (STF) defende a necessária contrapartida de pagamento pelo serviço.

O texto aprovado autoriza a manutenção do serviço por decisão do juiz, na hipótese de haver contestação judicial sobre o pagamento. No entanto, ao final do processo, o fornecimento poderá ser cortado, caso o consumidor não pague o débito no prazo.

O substitutivo também proíbe cobrança de qualquer valor para restabelecimento do serviço após a regularização do débito e fixa prazo de 24 horas para que os serviços voltem a funcionar.

Atendimento

Uma das normas aprovadas obriga as empresas a manter em funcionamento local físico, com funcionários próprios, para atendimento pessoal ao consumidor em municípios com mais de 100 mil habitantes. Nesses locais, deverá ser disponibilizada senha para o atendimento, sendo que o tempo de espera não poderá ser superior a 30 minutos.

Essas normas já estão previstas em regulamento da Anatel e passariam a valer também para os serviços de água e luz.

O substitutivo diz ainda que o tempo de espera entre o início da ligação e o efetivo atendimento pelo funcionário, quando requerido, não poderá ser superior a um minuto. Essas normas de call centers já estão previstas no Decreto que regulamenta o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).

Com informação da Agência Câmara