Pioneirismo da UEMA será celebrado em Sessão Solene na Câmara dos deputados

Por iniciativa do deputado Hildo Rocha, será realizada segunda-feira (23) Sessão Solene em homenagem aos 20 anos da implantação da UemaNet. O passo decisivo para o surgimento da UemaNet aconteceu em 1998 com a criação do Programa para formação de professores leigos que atuavam na rede pública de ensino municipal do Maranhão. Assim nascia o Núcleo de educação a Distância (Nead), que posteriormente veio a se transformar no Núcleo de Tecnologias para Educação (UemaNet).

Em 2001 o Ensino a Distância (EAD) da Uema foi credenciada pelo MEC. A instituição foi a 8ª Universidade Púbica  do Brasil e primeira do Nordeste a receber esse credenciamento. O primeiro curso de Bacharelado a distância da UEMA foi em Administração.

Hoje, ao completar 20 anos de atividades a UemaNet disponibiliza cursos na modalidade de educação a distância abrangendo três níveis de ensino: Técnicos, Graduação e Pós-Graduação. A instituição oferece suporte tecnológico e logístico aos cursos a distância e também, aos presenciais.

Legado de Roseana Sarney

UemaNet é o resultado do grande impulso administrativo e tecnológico que a Universidade Estadual do Maranhão recebeu durante a gestão da então governadora Roseana Sarney.

Mais de 40 mil alunos, de 217 municípios maranhenses, tiveram a oportunidade de concluir seus estudos em um dos cursos distância nas modalidades: aperfeiçoamento; técnico; licenciatura; bacharelado; tecnólogo e pós-graduação.

Atualmente a universidade disponibiliza 56 polos de apoio presencial; 14 cursos técnicos; 4 cursos de graduação; 6 cursos de pós-graduação; 7 cursos abertos e vários cursos de aperfeiçoamento.

A iniciativa do deputado Hildo Rocha, de homenagear a Universidade Estadual do Maranhão é compreensível. Primeiro, pelos relevantes serviços que a UEMA presta ao Maranhão. Por fim, deve-se considerar também os laços afetivos, afinal, foi nessa gloriosa instituição de ensino superior que o parlamentar obteve a sua graduação em Administração, no final da década de 80.Trata-se, portanto, de uma justa homenagem.

Polícia de Flávio Dino espiona lideranças da oposição que podem ‘causar embaraços nas eleições’

 

O Estadão – 

A Polícia do governo Flávio Dino (PC do B) – candidato à reeleição no Maranhão – emitiu nesta quinta-feira, 19, ordem expressa aos batalhões militares para monitorar opositores políticos durante as eleições de 2018.

Documento da Secretaria de Segurança Pública maranhense determina identificação de políticos opositores ‘ao município’ ou ao ‘Estado’ que possam ‘causar embaraços no pleito eleitoral’ e ainda manda transferir policiais envolvidos com política.

A ordem foi emitida pelo Comando de Policiamento do Interior (CPI) aos Batalhões da Polícia Militar e pede um ‘levantamento eleitoral’ das forças de segurança do Estado.

Na Assembleia Legislativa, opositores a Dino reagiram com veemência à ofensiva da polícia. “Isso é uma Venezuela, uma Coréia do Norte no Maranhão”, afirmou o deputado Souza Neto (PRP).

Segundo o documento, ‘os comandantes das UPM’s deverão informar as lideranças que fazem oposição ao governo local (ex-prefeito, ex-deputado, ex-vereador) ou ao governo do Estado, em cada cidade, que podem causar embaraços no pleito eleitoral’.

No ‘levantamento eleitoral’ exigido pelo Comando a todas as unidades, há uma tabela com quesitos que devem ser preenchidos, como os nomes dos juízes eleitorais de cada comarca, locais de votação, atuais prefeitos e o delegado regional.

No mesmo documento, em uma ala de ‘informações complementares’, constam outros quesitos, como aquele em que devem ser identificados os opositores, e ainda outro. “Os comandantes da área deverão informar se existem policiais militares envolvidos com políticas, para que no período eleitoral sejam deslocados para outras cidades, a fim de evitarem transtornos no período eleitoral.”

COM A PALAVRA, O COMANDANTE GERAL DA POLÍCIA MILITAR DO MARANHÃO, JORGE LUONGO

A Polícia Militar do Maranhão vem a público esclarecer que o documento que circula nas redes sociais onde supostamente se determina às Unidades do Interior que identifiquem lideranças antagônicas ao Governo Local e Estadual é um equívoco grave e sem precedentes, não autorizado pelo Comando da Instituição Policial Militar, que na sua gênese procurava tão somente catalogar dados informativos e estatísticos que subsidiassem um banco de dados para a elaboração do planejamento do policiamento das eleições 2018.

Informa que logo que este equívoco foi identificado, tomou medidas imediatas para corrigir tal erro e tornar sem efeito tais medidas, assim como instaurou um procedimento de apuração legal para as devidas providencias que o caso requer.

Coronel PM Jorge Luongo – Comandante geral da Polícia Militar do Maranhão

Vídeo – Gleisi Hoffmann “denuncia” prisão de Lula a aliados muçulmanos

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, postou um vídeo na sua página pessoal do Facebook, no qual se dirige ao povo árabe e o convoca à luta em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em apenas 16 horas de veiculação, o vídeo teve mais de 7 mil compartilhamentos.

Gleisi diz que Lula sempre defendeu o Estado Palestino, que é inocente e sua prisão faz parte do golpe que cassou a ex-presidente Dilma Rousseff. Afirma também que a prisão é um meio de impedir o ex-presidente de retornar à presidência do Brasil e que “ele tem o apoio do povo brasileiro”.

O deputado federal Jerônimo Goergen avisou que enviará ainda hoje um ofício à Polícia Federal pedindo que a corporação verifique a veracidade do vídeo de Gleisi Hoffmann gravado para a Al Jazeera.

“Há riscos nesta incitação ao mundo árabe. Há riscos para o Brasil e para a nossa democracia”, disse.

A assessoria de imprensa da senadora disse na manhã desta quarta-feira (18/4) que o vídeo é de uma entrevista que a senadora deu para a TV Al Jazeera.  Veja o vídeo que também está circulando por meio de aplicativos de celular e levando as pessoas a se perguntarem sobre a possibilidade da ocorrências de atos terroristas no Brasil.

O Maranhão envergonhado

O deputado federal Hildo Rocha voltou a repercutir na tribuna da Câmara Federal o fracasso do governo comunista. Desta vez, o parlamentar destacou a participação de Rodrigo Gaspar, morador de Cajari, no quadro O Brasil que eu quero.

“Rodrigo Gaspar, mostrou o hospital do Município de Cajari fechado há muito tempo. Por que isso aconteceu? Porque Flávio Dino deixou de repassar às Prefeituras, o repasse mensal Fundo a Fundo da Saúde, recurso para custeio das unidades hospitalares municipais de 20 leitos que muito servem para a comunidade, para que os cidadãos e as cidadãs tenham um hospital de urgência e emergência na cidade”, destacou Hildo Rocha.

O deputado ressaltou que o hospital mostrado no Bom dia Brasil, da Rede Globo, foi construído pelo Governo Roseana Sarney. Segundo o parlamentar assim como aquele hospital fechado existem outros vinte na mesma situação, pois os municípios sem o apoio financeiro do governo do estado não tem condições de bancar sozinhos o funcionamento das unidades hospitalares.

“A governadora Roseana Sarney construiu 64 hospitais, durante a sua gestão. Além  disso, ela ajudava a manter essas unidades de saúde em funcionamento repassando mensalmente, no mínimo, cem mil reais do Fundo Estadual para o Fundo Municipal de Saúde de cada cidade para ajudar no funcionamento dos hospitais. Mas, lamentavelmente o governador Flávio Dino, de forma perversa, cortou os repasses mensais que foram implantados pela governadora Roseana. Dessa forma, muitos municípios tiveram que fechar os hospitais. Com isso, quem sofre é a população”, criticou Hildo Rocha.

Desvio milionário na Saúde

O deputado destacou ainda que desde o último final de semana o Maranhão figura negativamente nos noticiários nacionais por conta da morte de um dos envolvidos num dos maiores escândalos de corrupção do atual governo.

Rocha disse que a soma dos recursos que eram repassados mensalmente para os municípios é de apenas alguns milhares, em moeda nacional. Já o total desviado da Secretaria da Saúde passa de R$ 18 milhões, conforme levantamento dos órgão responsáveis pelas investigações.

“É dinheiro suficiente para bancar muitos hospitais e amenizar o sofrimento de milhares de pessoas. Isso gera revolta e envergonha o nosso estado”, afirmou Hildo Rocha.

Caso Mariano – “pode ter sido suicídio ou homicídio”, diz legista sobre morte do médico

O médico legista do Instituto Médico Legal do Piauí, André Biondi Ferraz, afirmou que o também médico, Mariano Castro, se suicidou ou pode ter sido vítima de homicídio. A informação foi dada ao portal GP1, de Teresina.

Mariano Castro, que foi encontrado morto na noite da quinta-feira, 12, em Teresina, foi morto por asfixia, segundo Biondi. No entanto, ainda de acordo com o legista, ainda não há como determinar o que causou a asfixia.

“O corpo chegou na noite e foi examinado pelo médico-legista. E a causa morte aparentemente está por asfixia, mas ainda está sendo delineado. A asfixia pode ser suicídio ou homicídio, mas ainda não dá para a gente antecipar. O mais adequado é a gente aguardar o laudo do médico-perito”, explicou.

Mariano Castro é apontado pela Polícia Federal como o operador do esquema que desviou cerca de R$ 18 milhões da saúde do Maranhão. Ele foi preso durante a Operação Pegadores e conseguiu meses depois ser solto para cumprir prisão domiciliar.

A morte do médico coincidiu com a divulgação na imprensa de uma carta manuscrita em que Castro reclamava de ter “levado a culpa sozinho”.

 

Carla Lima/O Estado

Governo Flávio Dino foi omisso na prevenção das catástrofes no Estado, afirma Hildo Rocha

Imagem da internet (Tuntum)

O deputado federal Hildo Rocha repercutiu, nesta quarta-feira, na tribuna da Câmara Federal, a situação de calamidade pública vivenciada por dezenas de cidades maranhenses em consequência de inundações. De acordo com o parlamentar, se o governo estadual tivesse trabalhado em parceria com os municípios avisando os mesmos sobre as pancadas de chuvas, muitas famílias não teriam tido o prejuízo que tiveram.

O deputado disse que há bastante tempo os institutos de monitoramento dos riscos de acidentes vinham avisando que iria chover intensamente em algumas regiões do Maranhão. “O governo estadual foi avisado antecipadamente, mas nada fez, não adotou as medidas necessárias para evitar os prejuízos, não repassou as informações para as prefeituras e moradores. Agora, milhares de famílias estão desabrigadas e com enormes prejuízos. Faltou ação do governo estadual, não transmitiram as informações de maneira  adequada as”, destacou Hildo Rocha.

Imagem da internet (Marajá do Sena)

De acordo com o parlamentar, se as famílias tivessem recebido a devida comunicação em tempo hábil as mesmas teriam tido tempo para se preparar e retirar seus móveis e eletrodomésticos. “O governo estadual foi omisso. Como resultado dessa omissão, milhares de famílias perderam móveis, geladeiras, fogões, televisores e outros bens. Os prejuízos são enormes”, destacou Hildo Rocha.

Situação preocupante

O deputado ressaltou que Tuntum, Presidente Dutra, Joselândia, São Domingos do Maranhão, Dom Pedro, entre outros municípios da bacia do Mearim, enfrentam graves problemas. “Os temporais  destruíram estradas municipais, pontes, ruas, praças, bueiros, casas e prédios públicos causando transtornos para a população. Foi um grande erro do governo do Estado não ter feito um trabalho preventivo para evitar esses acidentes da natureza que poderiam ter sido evitados se tive uma melhor comunicação”, disse Hildo Rocha.

Advogado apresenta nova denúncia contra Duarte Júnior por abuso de poder político

Mais uma denúncia foi feita a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) contra o ex-diretor do Procon, Duarte Júnior (PCdoB), que é pré-candidato a deputado estadual. A notícia acerca de fatos foi apresentado pelo advogado Thiago Brhanner que alega abuso de poder político e promoção pessoal cometidos pelo comunista.

De acordo com a representação, Duarte Júnior, que ministrava a disciplina de Direito Constitucional em uma universidade particular de São Luís, teria usado seus alunos para sua promoção pessoal por meio do projeto Jovem Cidadão, criado para garantir acesso a jovens da periferia o direito de retirar documentos.

De acordo com um dos alunos do ex-diretor do Procon, João Batista dos Santos Filho, que é citado na notícia de fato de Thiago Brhanner, o professor Duarte Júnior duas semanas antes de deixar o cargo que ocupava no governo de Flávio Dino, montou equipes com alunos de sua disciplina, cujo objetivo era recrutar pessoas em periferias de São Luís para que fossem retirar CPF, RG e título de eleitor em um shopping da cidade e no fim, as pessoas levadas para tirar documentos teriam direito a assistir a um filme no cinema no shopping.

“Eu não fui porque tenho 44 anos e como uma pessoa mais experiente percebi quais eram os objetivos deste professor. Só queria se promover porque não há nada na ementa da disciplina que justifique este tipo de atividade”, afirmou a O Estado o aluno.

Na denúncia também constam conversas de grupo de Whatsapp, nas quais os alunos reclamam da ação e afirmam que somente participaram porque valia ponto na disciplina.

Também conta na representação feita a PRE, que foram disponibilizados ônibus para levar os moradores das comunidades, que após retirar somente título de eleito – já que o sistema para retirar demais documentos estavam fora do ar – Duarte Júnior foi pessoalmente a ação do projeto jovem Cidadão feita pelos universitários.

Brhanner pede que a procuradoria eleitoral investigue a denúncia e aplique as sanções ao ex-diretor do Procon.

Outras denúncias – Além deste fato que motivou a notícia de fato de Thiago Brhanner, o aluno João Batista informou que as consequências desta atividade extra classe – que não teve conhecimento da direção da universidade – foi que a turma exigiu que Duarte Júnior fosse retirado da disciplina.

“Foi feita uma reclamação ao coordenador do curso, coronel Sílvio, sobre esta atitude e outras como o fato de não ministrar a aula com o conteúdo da disciplina e somente falar das ações dele no Procon deste professor, que acabou sendo retirado da nossa turma e substituído pela professora Rosélia Araújo”, disse João Batista.

Duarte Júnior nega acusações e se diz perseguido

O Estado entrou em contato com o pré-candidato a deputado estadual que alegou sofrer perseguição por parte do advogado Thiago Brhanner. Segundo Duarte Júnior, esta é a quarta vez que Brhanner o aciona na Justiça.

Sobre a atividade com os alunos de Direito Constitucional, o comunista afirmou que fez uma atividade para aliar a teoria vista em sala de aula com a prática. De acordo com ele, o objetivo era mostrar aos alunos a aplicação dos direitos fundamentais dos cidadãos.

“Sempre fiz este tipo de atividade com meus alunos. Mostrar na prática aos alunos o que aprendem na teoria em sala de aula. Neste caso, o projeto Jovem Cidadão – feito em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral e que já existe há três anos – os alunos puderam acompanhar o direito do cidadão previsto no artigo 1º da Constituição”, afirmou Duarte Júnior.

O ex-auxiliar de Flávio Dino afirmou ainda que não houve qualquer sansão para os alunos que não participaram ou benefício em notas os universitários que fizeram parte do projeto. Esta afirmação de Duarte Júnior vai de encontro com o que disse um dos alunos em conversas pelo Whatsapp e que constam na denúncia de Brhanner.

Com informação do Jornal O Estado do Maranhão

[Flávio Dino] Traidor -mor

Chegou à mídia nacional a imagem de traidor que o governador Flávio Dino (PCdoB) passou a ter após usar de forma descarada aliados políticos e, depois, jogá-los à própria sorte quando já não servem mais aos seus interesses.

Também, pudera. A lista só cresce: desde Jackson Lago, passando por Edison Vidigal, Roberto Rocha, o ex-prefeito Sebastião Madeira, o deputado Eduardo Braide, a ex-prefeita Maura Jorge, até chegar em José Reinaldo Tavares e, agora, o deputado federal Waldir Maranhão, que deu a dimensão exata do tamanho da traição dinista.

Waldir Maranhão expôs-se ao ridículo na mídia nacional, em 2016, ao tentar, inclusive, anular o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), após pressão de Dino. Em troca, o comunista garantiria ao aliado a candidatura a senador em sua chapa. Waldir acreditou nisso, e passou dois anos com essa esperança, enquanto o próprio Flávio Dino minava suas pretensões, manipulando o PT e fechando as portas do governo.

Foi assim também com José Reinaldo, com Roberto Rocha, com Sebastião Madeira, com Jackson Lago. Todos foram usados, em um momento ou outro, pelas pretensões de poder de Dino. E descartados assim que chegava o momento de o governador retribuir ao favor. E com esse abandono dos aliados, o comunista vai construindo a sua imagem de traidor-mor do Maranhão. Agora, em âmbito nacional.

 

O Estado/Estado Maior

Hildo Rocha solicita ajuda do governo federal para Marajá do Sena

O deputado Hildo Rocha além de fazer pronunciamento na tribuna da Câmara Federal em solidariedade à população de Marajá do Sena se reuniu com o Coronel Renato Newton Ramlow, Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, para pedir ajuda do governo federal em favor da população do município que foi afetado por forte enchente, nos últimos dias.

“A população de Marajá do Sena encontra-se em situação dramática em consequência da grande inundação que atingiu o município. Com o intuito de contribuir para agilizar as providências necessárias, estive reunido com o Coronel Newton que prontamente se colocou à disposição do governo municipal e explicou o que deve ser feito para que a ajuda chegue com a maior brevidade possível”, destacou Hildo Rocha.

O deputado disse que o Prefeito Lindomar Araújo elaborou um plano de trabalho que já está sendo analisado pelo Ministério da Integração, por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. “A prefeitura do município terá pela frente grandes desafios porque os prejuízos são imensos. Estradas e pontes terão que ser reconstruídas, prédios e outros imóveis do patrimônio público também foram afetados. Então, solicitei a ajuda do Governo Federal porque a população está sofrendo muito com tudo que aconteceu e precisa de ajuda, o mais rápido possível”, declarou o parlamentar.

“Quero, portanto, agradecer ao coronel Renato pela gentileza e pelas informações que ele repassou a fim de que possamos contribuir de forma rápida e eficiente”, enfatizou Hildo Rocha.

Milicianos petistas/comunistas iniciam atos de violência

A escória de milicianos petistas decidiu partir para a agressão e violência física diante da iminência da prisão do ex-presidente Lula, condenado a doze anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. Na tarde dessa quinta-feira, um bando de petistas covardes agrediu um homem a socos e pontapés em frente ao Instituto Lula, na capital paulista. A violência da agressão resultou na vítima desacordada e com sangramentos no meio da rua.

A grande imprensa aliada a criminosos e comunistas falou em tumulto e empurra-empurra, quando na verdade o que houve foi a agressão física de um bando de comunistas contra um único homem. O homem agredido encontra-se hospitalizado em estado grave, com traumatismo craniano. A agressão foi filmada e o vídeo pode ser visto mais abaixo. Também nessa quinta-feira, um bando de cerca de trinta delinquentes petistas atacaram com socos e pontapés dois veículos de imprensa na capital federal.

A Estratégia da Esquerda: Desestabilizar o País

As ações criminosas e covardes desencadeadas pela escoria de comunistas e delinquentes de todo tipo abrigada sob o guarda-chuva do petismo pode ser o preâmbulo de uma tentativa por parte da esquerda de promover uma violência política generalizada na sociedade brasileira.

Essa estratégia estaria em linha com a decisão tomada pela esquerda revolucionária, mas não assumida publicamente, de tentar convulsionar o País para evitar a realização das eleições. Uma estratégia que parte da constatação, correta, por parte dos comunistas de que eles não terão meios de retornar à presidência pela via eleitoral, uma vez que eles não têm a garantia de que poderão fraudar as urnas eletrônicas.

No entanto, caso essa estratégia da esquerda seja de fato adotada, acreditamos que ela não terá poder de escala o bastante para atingir seu intento de desestabilização generalizada. O mais provável é que venha a ocorrer episódios de violência política, que as polícias militares estaduais conseguirão conter e controlar sem maiores danos. E seguramente a ação das polícias nesses episódios contará o apoio expressivo da maioria da população, apesar das narrativas mentirosas que a grande imprensa irá criar.

A despeito do que afirmamos acima, ainda julgamos mais prudente não permitir que os delinquentes da esquerda possam dar início a essas ações. É preciso enviar um recado claro para os chefes e estrategistas revolucionários que, se optaram por esse caminho, essa opção irá custar-lhes um preço alto demais e que nenhuma narrativa pós-fabricada poderá pagar. E esse recado tem que ser dado por quem tem o poder de fazê-lo: o estamento militar por meio de mais um uivo dos lobos.

 

Por Paulo Eneas