Propaganda comunista enganosa

A falta de resultados práticos e a baixa aprovação do governador Flávio Dino (PCdoB) talvez expliquem a necessidade de, ano após ano, a Secretaria de Estado da Comunicação e Assuntos Políticos (Secap) precisar extrapolar o orçamento aprovado pelos deputados na Assembleia Legislativa. É preciso muita propaganda para criar algo de positivo no atual governo.

Desde 2016, a gestão comunista tem transformado a Lei Orçamentária Anual (LOA) em mera peça de ficção, principalmente quando o assunto são os gastos com publicidade e propaganda, a cargo da pasta. Propagandas, muitas vezes, enganosas, como a do “Novo Italuís”.

Antes do fim da obra, o governo preparou uma massiva campanha de mídia para exaltar o feito da atual gestão – mesmo que o Maranhão inteiro saiba que cabia ao governo comunista apenas conectar alguns canos, após receber mais de 90% da obra pronta do governo anterior.

Ocorre que nem essa pequena parte do serviço conseguiram fazer corretamente. A nova adutora não entrou em operação e, para não deixar mais de 600 mil moradores completamente sem água, religaram a tubulação antiga. Mas não fizeram questão de interromper a propaganda da “Nova Italuís”. Jogando pelo cano dinheiro do contribuinte maranhense numa campanha publicitária flagrantemente enganosa. Caso claro de improbidade.

Fatia…

Do total pago pela Secretaria de Estado da Comunicação e Assuntos Políticos (Secap), a maior fatia do bolo foi justamente para as agências de publicidade.

Nada menos que R$ 39,2 milhões, dos 72,9 milhões gastos, foram destinados às três agências que atendem à conta do governo Flávio Dino (PCdoB).

Os dados são do Portal da Transparência do Governo do Estado Maranhão.

…do bolo

As agências contratadas pelo Executivo receberam fatias generosas do mesmo bolo. Ainda de acordo com o Portal da Transparência, a divisão foi feita em parcelas de R$ 17,6 milhões, R$ 14,4 milhões e 7,2 milhões para cada uma delas.

Esses valores referem-se apenas ao ano de 2017.

De O Estado/Estado Maior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *