Janot nunca tentou impedir o indulto natalino enquanto esteve à frente da PGR

O ex-PGR Rodrigo Janot, nas redes sociais, criticou com certa razão o indulto natalino concedido pelo governo. Neste ano, como em todos os outros, criminosos serão liberados da prisão para que possam comemorar o Natal.

O que Janot disse, inclusive, se encaixa perfeitamente com a visão de Raquel Dodge:

“Em boa hora e no ponto, a PGR Raquel Dodge propôs ação de inconstitucionalidade contra o absurdo decreto baixado pelo presidente Temer, que indulta criminosos de todo o tipo, especialmente corruptos. Este é mais um movimento do governo contra a Lava Jato.”

Neste caso, Janot está objetivamente certo. O indulto jamais deveria acontecer. Essa ação promove, anualmente, diversos casos de presos que simplesmente fogem do sistema e que permanecem foragidos, também promove casos em que pessoas liberadas da prisão simplesmente voltam a cometer crimes, o que deixa a sociedade em um risco maior do que o já existente. O problema nesta situação é outro e tem a ver justamente com a pessoa de quem se está falando.

Rodrigo Janot foi o Procurador Geral da República nos últimos anos. Conseguiu o cargo ainda no governo Dilma. Antes, no entanto, ele não criticava o indulto. Diferente de Raquel Dodge, atual PGR que entrou no STF para que o indulto fosse barrado, Janot jamais se manifestou contrário a isso até então. Por que agora, quando não está mais no cargo, ele decidiu bancar o defensor da Justiça?

Se Raquel Dodge tem em suas mãos o poder de pelo menos tentar vetar o indulto, o que impediu que Janot fizesse o mesmo nos anos passados? O indulto natalino acontece todo fim de ano e há muito tempo, não é uma invenção de Temer. O atual presidente apenas seguiu o barco e manteve a mesma tradição deplorável dos governos anteriores.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *